Quase metade dos domicílios brasileiros recebe auxílio relacionado à pandemia


Da CNN
23 de julho de 2020 às 22:51

Pesquisa mensal da PNAD Covid-19, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada nesta quinta-feira (23) mostrou que cerca de 29,4 milhões de domicílios brasileiros, algo em torno de 43% do total, receberam em junho algum tipo de auxílio emergencial do governo relacionado à pandemia do novo coronavírus. 

Nestes lares moram 104,5 milhões de pessoas, quase metade da população do país.

Segundo o IBGE, o benefício alcançou em junho três milhões de domicílios a mais em comparação ao mês de maio. 

A população mais pobre foi a mais beneficiada com o programa: 80% do auxílio emergencial foi destinado às duas primeiras faixas de renda. Na primeira, que é o grupo com os menores rendimentos, a renda per capita passou de R$ 7,15 para R$ 271,92. 

Desocupação

A pesquisa também revelou que a taxa de desocupação -- pessoas sem trabalho formal ou informal -- de junho deste ano foi de 12,4%. Em maio, havia sido de 10,7%.

Leia também:

Número de afastados do trabalho cai em junho, mas recuo pode ser sinal negativo

Na busca por emprego, muitas pessoas têm recorrido a uma forma rápida de contratação, como os aplicativos de entrega.

Somente o iFood recebeu 480 mil novos cadastros entre março e junho, procura duas vezes maior que a do mesmo período que a do ano passado.

(Edição: Bernardo Barbosa)