Eneva fará oferta de R$ 8 bilhões pela AES Tietê caso tenha o aval do BNDES


Reuters
27 de julho de 2020 às 15:59
AES Tietê

Logo da AES: empresa receberá oferta de R$ 8 bilhões caso a Eneva tenha o aval do BNDES

Foto: Reuters/Rodrigo Garrido

A Eneva se comprometeu a fazer nova e maior oferta para incorporação da rival AES Tietê, de cerca de R$ 8 bilhões, caso sua proposta seja escolhida em processo aberto pelo BNDESPar para venda de uma fatia na empresa de geração renovável controlada pela norte-americana AES, informou a companhia em fato relevante nesta segunda-feira (27).

A Eneva agora oferece R$ 1,995 bilhão em dinheiro e 114,75 milhões de novas ações ordinárias de sua emissão aos acionistas da AES Tietê, o que, segundo a companhia, atribui um prêmio de 17% sobre o valor de mercado de ambas elétricas em 23 de julho.

Leia também:
BNDESPar busca interessados em comprar fatia na AES Tietê, confirma empresa

Na quinta-feira passada, a Eneva havia se disposto a pagar R$ 727,89 milhões em dinheiro e 130,48 milhões em novas ações ordinárias aos acionistas da AES Tietê, o que a companhia disse na ocasião representar prêmio de 10% sobre as cotações dos papéis das empresas em 23 de julho.

O anúncio de uma nova proposta da Eneva veio logo após notícias na imprensa de que a AES Corp também apresentou uma oferta pelas ações do BNDESPar em sua unidade de geração limpa no Brasil.

Em meio à disputa pela fatia do BNDES na empresa, as ações da AES Tietê subiam forte na tarde desta segunda-feira, com alta de 6,5% às 15h (horário de Brasília), a R$ 16,56, em movimento puxado pelo fato relevante da Eneva.

Já as ações da Eneva, que chegaram a ter negociação suspensa pouco antes da divulgação sobre a oferta, operavam em leve alta de 0,3%, revertendo perdas, contra ganhos de 1,8% do índice Ibovespa.

A AES Corp fez um lance para comprar 65% da fatia do BNDESPar na AES Tietê por R$ 17,15 por ação em dinheiro, disse uma fonte à Reuters mais cedo nesta segunda-feira. O negócio, se concretizado, deixaria o banco estatal ainda com uma fatia de 9,9% na empresa.

As ofertas de Eneva e AES vieram após o BNDES ter informado em junho a contratação da BR Partners como assessor financeiro para buscar interessados em sua participação de 28,4% na AES Tietê.

A Eneva disse que sua nova proposta de incorporação envolveria uma relação de troca implícita correspondente a 0,057 novas ações ordinárias da empresa para cada ação ordinária ou preferencial da AES Tietê. A parcela em dinheiro do negócio seria equivalente a R$ 1 por ação ordinária ou preferencial, ou R$ 5 por Unit.

Um primeiro movimento da Eneva para tentar a incorporação da AES Tietê foi frustrado em abril, quando o conselho de administração da empresa da AES rejeitou uma proposta inicial que envolveria R$ 2,75 bilhões em dinheiro e o restante em ações, em total de cerca de R$ 6,6 bilhões.

Na ocasião, executivos da AES Tietê disseram que a empresa havia sido subavaliada e que não haveria sentido estratégico em uma combinação de ativos com a Eneva, uma vez que a AES tem focado sua estratégia no Brasil em renováveis, enquanto a rival opera termelétricas a gás e carvão.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook