Planalto prevê que novo presidente do BB só tomará posse em setembro

No Planalto e na equipe econômica, a demora no anúncio oficial de André Brandão no cargo tem sido atribuída ao processo de desligamento do HSBC

Por Igor Gadelha, CNN  
07 de agosto de 2020 às 16:35 | Atualizado 07 de agosto de 2020 às 16:37

 

Ministros e integrantes do Palácio do Planalto preveem que o sucessor de Rubem Novaes na presidência do Banco do Brasil só tomará posse no cargo, de fato, em setembro. 

Nesta sexta-feira (7), completaram duas semanas que Novaes anunciou seu pedido de demissão. Até agora, porém, o governo sequer oficializou ao banco público o nome do sucessor.

Como a CNN antecipou na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, escolheu André Brandão, atual executivo do HSBC, para ser o novo presidente do BB.

Leia também:

André Brandão, novo presidente do BB, vem do setor privado e já depôs em CPI

André Brandão será o novo presidente do Banco do Brasil

No Planalto e na equipe econômica, a demora no anúncio oficial tem sido atribuída ao processo de desligamento de Brandão do HSBC e à mudança dele de Nova York, onde mora, para o Brasil.

Depois que o governo indicar Brandão oficialmente, o nome dele será submetido a um comitê de exigibilidade, que analisará se ele segue os critérios previstos no estatuto do banco e na Lei da Estatais.

Depois disso, o presidente Jair Bolsonaro poderá publicar a nomeação do executivo no Diário Oficial da União. Em seguida, o banco comunicará a decisão ao mercado. Só então Brandão poderá tomar posse.

À CNN, Rubem Novaes afirmou que ficará no cargo até que seu sucessor tome posse. Ao anunciar sua saída, o presidente do BB chegou a dizer que pretendia deixar o cargo no início de agosto.