Eu confio no presidente e ele em mim, diz Guedes após reunião com Bolsonaro

Bolsonaro negou que a saída do ministro da Economia tenha sido cogitada pelo governo

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
17 de agosto de 2020 às 20:44

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira (17) que ele e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) possuem uma relação de confiança e que se sentiu apoiado em "momentos decisivos".

"Estamos há dois anos e meio convivendo. Eu não tive ainda nenhum ato que me sugerisse que eu não devo confiar com o presidente, da mesma forma eu não faltei em nenhum momento com a confiança dele", disse o ministro.

Paulo Guedes e Bolsonaro se reuniram nesta segunda para discutir a agenda econômica. Aos jornalistas, Guedes defendeu a diferenciação entre os gastos em função da pandemia da Covid-19, com a crise de saúde e seus impactos econômicos, e outros investimentos.

Questionado sobre suas críticas a "ministros fura-teto", ele disse que estava especulando e não tratando de colegas em específico. "Eu disse que se tiver alguém querendo furar teto, vai ser ruim para o presidente", comenta.

Assista e leia também:

Paulo Guedes ganha sobrevida no governo

Marinho defende obras de infraestrutura, mas nega furar teto de gastos

Citando obras de saneamento básico, desejadas pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, Guedes disse que é importante realizar investimentos do tipo na região Nordeste, "mas esses recursos tem que vir de algum lugar".

Mais cedo, em conversa exclusiva com a CNN, o presidente Jair Bolsonaro disse que a saída de Paulo Guedes "nunca foi cogitada".

"Paulo Guedes é aliado de primeira hora. Entramos juntos no governo e vamos sair juntos", disse o presidente ao repórter Leandro Magalhães.