Privatização da Eletrobras: governo quer iniciar debate pelo Senado


Luciano Costa e Maria Carolina Marcello, da Reuters
24 de agosto de 2020 às 16:30 | Atualizado 24 de agosto de 2020 às 17:16

O governo do presidente Jair Bolsonaro tem negociado com parlamentares para que debates no Congresso sobre sua proposta de privatização da Eletrobras (ELET6) comecem pelo Senado, e não pela Câmara, disseram à Reuters duas fontes com conhecimento do assunto nesta segunda-feira (24).

Pelas conversas, o senador Eduardo Braga (MDB-AM), que já foi ministro de Minas e Energia, seria o relator da proposta no Senado, o que poderia ser anunciado ainda nesta semana, disseram as fontes, que falaram sob a condição de anonimato porque o tema é visto como sensível.

"Estamos trabalhando nessa direção. Mas devemos bater o martelo até quinta-feira", disse uma das fontes.

Leia também:
Maia diz não ver consenso para privatizar Eletrobras neste ano
Eletrobras: saída de Mattar não prejudica privatização, que deve sair em 2021

"Pela costura que está se fazendo, o Braga seria o relator", disse uma segunda fonte.

O início da tramitação pelo Senado exigiria a busca de um projeto de iniciativa do governo que já esteja na Casa para que a proposta de privatização seja incluída na matéria, acrescentou essa segunda fonte.

Tal manobra permitiria iniciar os debates com os senadores, um caminho visto pelo governo como mais favorável ao processo devido a recentes afirmações do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) de que ele não pretende submeter o tema a votação entre os deputados neste ano.

Maia disse na terça-feira passada que não acredita em um consenso entre Câmara e Senado ainda neste ano para deliberações sobre a desestatização da Eletrobras.

Procurado por meio da assessoria de imprensa, o senador Eduardo Braga não respondeu de imediato a pedidos de comentário. Ele tem reunião com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, no final da tarde desta segunda-feira, segundo a agenda pública da pasta.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook