Tesla fica de fora do S&P 500 e vê suas ações despencarem


Subrat Patnaik, da Reuters
08 de setembro de 2020 às 13:31
Tesla

Logo da automotiva norte-americana Tesla, comandada por Elon Musk

Foto: Mike Blake/Reuters

Ações da Tesla chegaram a despencar 20% nesta terça-feira (8) após sua exclusão repentina do índice S&P 500, além de uma queda mais ampla de ações de tecnologia, que lideraram a recuperação de Wall Street das mínimas do início do ano causadas pela pandemia de coronavírus.

Analistas e investidores de Wall Street esperavam que a Tesla ingressasse no S&P 500 depois que a empresa divulgou em julho seu quarto trimestre consecutivo de lucros, eliminando um grande obstáculo para sua inclusão potencial no índice.

Leia também:
Elon Musk, da Tesla, é agora o 4º rico do mundo; e deve ficar ainda mais
Elon Musk indica salto na capacidade de bateria produzida pela Tesla

Em um anúncio surpresa, o S&P Dow Jones Indices decidiu adicionar a plataforma de comércio eletrônico de artesanato e itens antigos Etsy, a fabricante de equipamentos de semicondutores Teradyne e a empresa de tecnologia farmacêutica Catalent ao S&P 500.

As três empresas incluídas no índice são muito menores em tamanho, mas têm um histórico de lucratividade mais consistente.

Com uma capitalização de mercado de cerca de US$ 390 bilhões, a Tesla é quase 10 vezes maior que o valor de mercado combinado da Etsy, Teradyne e Catalent, que é de cerca de US$ 40 bilhões.

O recente rali das ações da Tesla foi impulsionado por seus ótimos resultados trimestrais, bem como por apostas de que o papel entraria no S&P 500, o que desencadearia uma demanda elevada pelas ações de fundos que seguem o índice de referência norte-americano.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook