BCE deixa política monetária inalterada, mas fala em 'ajustar seus instrumentos'

Além disso, o BCE manteve o volume de seu Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) em € 1,35 trilhão

Estadão Conteúdo
10 de setembro de 2020 às 12:57

Bandeiras da União Europeia: após reunião aguardada pelo mercado, Banco Central Europeu manteve política monetária inalterada

Foto: Shutterstock

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu deixar sua política monetária inalterada após reunião concluída nesta quinta-feira (10) mas reiterou que continua disposto a ajustar "todos os seus instrumentos", conforme for apropriado. As principais taxas de juros do BCE, a de refinanciamento e a de depósitos, permaneceram em 0% e - 0,50%, respectivamente.

Além disso, o BCE manteve o volume de seu Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) em € 1,35 trilhão.

Leia também:
Vendas no varejo crescem 5,2% em julho, maior resultado para o mês desde 2000
Não é só o arroz: dólar e home office deixam TV, game e até livro mais caros

O BCE também deixou inalterado o tamanho do Programa de Compras de Ativos (APP, na sigla em inglês), em € 120 bilhões, a um ritmo mensal de € 20 bilhões. Segundo a instituição, as compras do APP serão realizadas "pelo tempo que for necessário".

Em comunicado, o BCE reiterou ainda que o período de vigência do PEPP irá "pelo menos" até o fim de junho de 2021 e que as compras do programa serão conduzidas de maneira flexível. A instituição voltou a ressaltar, porém, que as compras do PEPP continuarão até que a crise da covid-19 seja superada.

O BCE reafirmou também que os juros básicos vão continuar nos níveis atuais ou menores "até que a perspectiva de inflação convirja de forma robusta" para sua meta, que é de uma taxa ligeiramente inferior a 2%.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook