Nubank compra corretora Easynvest e estreia no segmento de investimentos


Natália Flach, do CNN Brasil Business, em São Paulo
11 de setembro de 2020 às 09:09 | Atualizado 11 de setembro de 2020 às 10:11

O banco digital Nubank anuncia nesta sexta-feira (11) a aquisição da corretora Easynvest que tem 1,5 milhão de clientes. A compra faz com que o Nubank estreie no segmento de plataformas de investimento já nas primeiras colocações. O valor da operação não foi divulgado.

Esta é a terceira aquisição do Nubank em 2020. O banco digital, que tem 30 milhões de correntistas, comprou a consultoria de tecnologia Plataformatec no começo do ano e adquiriu a empresa americana de engenharia de software Cognitect dois meses atrás.

Leia também:
Nubank tem prejuízo 32% menor com redução de despesa operacional
Cristina Junqueira, do Nubank, é uma das líderes mais influentes da Fortune

Em agosto, a fintech brasileira captou US$ 300 milhões em capital de investidores, de acordo com um documento protocolado na Securities and Exchange Commission (SEC), regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, de acordo com a Reuters.

Cinco investidores participaram da operação, segundo o documento, sem revelar os nomes.

"Nos últimos sete anos, temos desafiado o status quo para criar uma nova geração de serviços na América Latina. Já libertamos 30 milhões de pessoas da complexidade do sistema financeiro por meio de serviços e produtos práticos, convenientes e, principalmente, totalmente focados no cliente. O nosso desejo é fazer isso também no setor de investimentos", afirma David Vélez, fundador e CEO do Nubank, em nota.

A aquisição da Easynvest acontece em um momento de franca expansão do setor de investimentos no Brasil, devido, sobretudo, ao cenário de baixas taxas de juros. O número de investidores pessoa física aumentou 76% entre dezembro do ano passado e agosto deste ano, superando a marca de 2,5 milhões, de acordo com dados da B3.

Além disso, estimativas do setor apontam que o volume de ativos sob custódia pode passar de R$ 3 trilhões em 2020 para mais de R$ 5 trilhões em 2025.

No segundo trimestre, o Nubank teve uma queda significativa no prejuízo. Foram R$ 44 milhões a menos. Mas, ainda assim, o banco digital opera no vermelho.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook