Reabertura de agências do INSS começa segunda-feira, mas será gradual e parcial

Segundo secretário Bianco, servidores que se encaixam no grupo de risco e aqueles que tiverem filhos em idade escolar vão poder optar por continuar em casa

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
11 de setembro de 2020 às 17:02 | Atualizado 11 de setembro de 2020 às 18:25
Agência do INSS antes da pandemia: atividades retornarão a partir da próxima segunda
Foto: Henry Milleo/ Agência Brasil

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, confirmou a reabertura das agências do INSS na próxima segunda-feira, dia 14. No entanto, ele destacou que somente parte das agências vão retomar as atividades presenciais de imediato. 

"Nem todas agências vão abrir e nem todos os servidores vão retornar presencialmente", disse em coletiva virtual nesta sexta-feira (11). "Será uma reabertura controlada, consciente e absolutamente responsável". 

Leia também:
Quase metade dos executivos aposta na valorização das ações de suas empresas

De um total de 1.525 agências, apenas 547 abrirão na próxima segunda. Além disso, o horário de atendimento vai será reduzido, de 7h às 13h. 

Segundo Bianco, os servidores que se encaixam no chamado grupo de risco, bem como aqueles que tiverem filhos em idade escolar, vão poder optar por continuar em trabalho remoto. 

Em um primeiro momento apenas retornarão aqueles serviços que não podem ser feitos de forma remota. Entre essas atividades está a perícia médica. 

Por medida de segurança, somente as pessoas com agendamento serão atendidas.

"Deixo aqui um apelo ao segurado do INSS e aqueles que procuram as agências para que não se desloquem às agências sem que tenham feito o agendamento", solicitou Bianco. Os agendamentos podem ser feitos pelo telefone 135 ou pelo aplicativo do INSS. 

Para o presidente do INSS, Leonardo Rolim, uma das principais atividades entre as que precisam ser presenciais é o cumprimento de exigências.

"Temos nos esforçado para analisar os requerimentos, mas a medida que começou a analisar o INSS viu que muitos precisavam ser complementados. Hoje temos 906 mil requerimentos em exigência", observou. Desde janeiro de 2019, o número de requerimentos em análise caiu de 1,773 milhão para 758 mil. 

De acordo com Rolim, a média mensal de atendimento do INSS antes da pandemia era de 2,5 milhões.

"Nesse momento, vai ser muito menos do que isso, até porque não teremos atendimento espontâneo. A quantidade de atendimentos vai depender da quantidade de agências abertas e com perícia funcionando. Esse número é dinâmico e vai aumentando no dia a dia. Não é atoa que chamamos a reabertura de progressiva", explicou. 

Um site do INSS vai informar diariamente as agências abertas, bem como a capacidade de atendimento das mesmas. Nos próximos dias, serão divulgadas quais agências serão reabertas e, dessas, quais contarão com a perícia médica presencial.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook