Sony decide fechar fábrica em Manaus e parar de vender TVs e câmeras no país


Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo*
15 de setembro de 2020 às 11:27 | Atualizado 15 de setembro de 2020 às 12:50

A Sony decidiu fechar sua fábrica em Manaus e deixar de vender no Brasil produtos de consumo como TVs e câmeras. Em nota, a empresa alega que “adota medidas para fortalecer a estrutura e a sustentabilidade de seus negócios, para responder às rápidas mudanças no ambiente externo".

Localizada em Manaus, a fábrica da empresa deixará de funcionar já no final de março de 2021, após 48 anos de funcionamento. As vendas de produtos de consumo, tais como TV, áudio e câmeras, serão interrompidas em meados do mesmo ano, “considerando o ambiente recente de mercado e a tendência esperada para os negócios.”

Leia também:
Vendas de videogames impulsionam resultados da Sony e lucro cai apenas 1,1%
Por que uma arma do jogo Counter-Strike pode valer R$ 700 mil? Conheça o mercado

Aparelhos da Sony

Sony: empresa anuncia fechamento da fábrica em Manaus

Foto: Divulgação/Sony

O anúncio ocorre num momento fundamental para empresa, que deve lançar seu novo console, o PlayStation 5, ainda em 2020. Apesar disso, a companhia garante que as mudanças não afetarão as vendas do video game. 

No comunicado, a empresa disse que está comprometida como empresa em garantir todos os direitos aos seus colaboradores e continuará a oferecer todo suporte ao consumidor para os produtos sob a sua responsabilidade comercial de acordo com as leis aplicáveis e sua política de garantia de produtos.

“Os demais negócios do grupo Sony no Brasil (Games, Soluções Profissionais, Music e Pictures Entertainment) continuarão a manter sua forte atuação no mercado local”, finaliza o texto. 

Resultados 

A empresa reportou globalmente uma queda de 1,1% no lucro do primeiro trimestre fiscal de 2020, com a unidade de videogames teve crescimento acelerado ajudado pelas medidas de quarentena.

A área de videogames da Sony "viu um impacto positivo dos consumidores atingidos por medidas de isolamento social", disse o vice-presidente financeiro, Hiroki Totoki.

A Sony teve lucro de abril a junho de 228,4 bilhões de ienes (US$ 2,15 bilhões), superando expectativa média de 143,21 bilhões de ienes compilada pela Refinitiv junto a 10 analistas do setor.

A Sony previu que o lucro da área de videogames suba para 240 bilhões de ienes neste ano fiscal, impulsionado por um forte aumento nas vendas de jogos e em conjunto com o lançamento do console PlayStation 5, no final de 2020.

Já na operação como um todo, a empresa estima que o lucro caia 26,7%, para 620 bilhões de ienes, no ano fiscal que se encerra em março de 2021, o menor resultado positivo em quatro anos, mas melhor do que uma queda de pelo menos 30% estimada em maio.

A companhia espera que todos os outros segmentos tenham lucros menores, incluindo uma queda de 45%, para 130 bilhões de ienes, em seus negócios de sensores de imagem.

A Sony, que fornece sensores de câmeras para fabricantes de smartphones, incluindo Apple e Huawei, vai cortar 50 bilhões de ienes de seu plano de investimentos de três anos no segmento, para 650 bilhões de ienes, disse Totoki.

A empresa de pesquisa de mercado IDC estima que o mercado mundial de smartphones caia 12% em 2020.

*Com informações da Reuters

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook