Arrecadação no estado de São Paulo cresce pela primeira vez após Covid-19

Os cofres paulistas arrecadaram R$ 13,690 bilhões em agosto, ante R$ 13,215 bilhões no mesmo período do ano passado

Iuri Pitta
Por Iuri Pitta, CNN  
25 de setembro de 2020 às 17:33 | Atualizado 25 de setembro de 2020 às 17:49

Pela primeira vez desde o início da pandemia do coronavírus, a arrecadação no estado de São Paulo apresentou em agosto crescimento na comparação com o mesmo mês de 2019, tanto em valores nominais quanto reais (corrigidos pela inflação oficial). Os dados foram obtidos em primeira mão pela CNN.

De acordo com a Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo, os cofres paulistas arrecadaram R$ 13,690 bilhões em agosto, ante R$ 13,215 bilhões no mesmo período do ano passado – em valores corrigidos pelo IPCA, R$ 13,537 bilhões. O crescimento em valores reais é de 1,1%, e de 3,6% em termos nominais.

Esses dados são um indicativo importante de retomada da atividade econômica no estado mais rico do país, que também enfrenta desafios fiscais e discute uma proposta de ajuste na Assembleia Legislativa.

Do ponto de vista político, também é uma notícia importante para o governador João Doria em seu contraponto ao presidente Jair Bolsonaro.

Pelos indicadores do estado, maio foi o mês de pior arrecadação em função da pandemia da COVID-19, com queda na receita tributária de 25,3% em valores nominais (em valores reais, o tombo foi de 26,5%). Em junho e julho, houve recuperação parcial do ritmo de pagamento de tributos, mas ainda abaixo dos indicadores de 2019. No mês passado, a queda em termos reais havia sido de 5,8%.