Petrobras inicia fase vinculante para venda da PBIO, de biocombustíveis

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento

Nayara Figueiredo, da Reuters
30 de setembro de 2020 às 20:29

Sede da Petrobras: venda da PBIO faz parte de "otimização do portfólio"

Foto: Sérgio Moraes/Reuters (09.Mar.2020)

A Petrobras (PETR4) deu início à fase vinculante referente à venda de sua subsidiária integral Petrobras Biocombustíveis (PBIO), uma das maiores produtoras de biodiesel do país, informou a companhia nesta quarta-feira.

Os potenciais compradores habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes.

Leia também:
STF começa a decidir se barra privatização de refinarias da Petrobras
Ações da CSN disparam com recomendação do Credit Suisse de compra dos papéis

"Essa operação está alinhada à estratégia de otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital, visando à maximização de valor para os seus acionistas", disse a estatal.

A PBIO foi fundada em 2008 e é uma das maiores produtoras de biodiesel do país, com 5,5% de market share em 2019.

A empresa tem três usinas de biodiesel. Uma está localizada em Montes Claros (MG), com capacidade produtiva de 167 mil m³/ano; outra em Candeias (BA), que pode produzir 304 mil m³/ano. A terceira fica em Quixadá (CE) e está em hibernação, com capacidade produtiva de 109 mil m³/ano.

"As três usinas podem usar uma mistura de até 5 matérias-primas diferentes (óleo de soja, de algodão e de palma, gordura animal e óleos residuais) para produção de biodiesel, capturando vantagens na dinâmica sazonal dos preços", afirmou a Petrobras.

Ainda segundo o comunicado, a atual transação consiste na venda de 100% das ações da Petrobras na PBIO, incluindo as três usinas de biodiesel, e não inclui a negociação da participação societária da PBIO na BSBios Indústria e Comércio de Biodiesel Sul Brasil (50%).

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook