Dia das Crianças: vendas de brinquedo pela internet sobem 400% antes do feriado

Além da internet, o Dia das Crianças promete movimentar o comércio, segundo estimativa da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). 

Do CNN Brasil Business, em São Paulo
09 de outubro de 2020 às 17:57
Brinquedos em uma mesa: expectativa é que data ajude a compensar um pouco as quedas nas datas comemorativas anteriores, como Dia dos Pais e o das Mães
Foto: Jerry Wang / Unplash

Parece que as crianças estão querendo brincar no feriado. Com o isolamento social ainda em prática por algumas famílias, a saída de muitas delas está em comprar brinquedos para distrair as crianças, ainda mais no feriado do dia 12 de outubro. E isso tem aumentado as vendas. De acordo com o portal de cupons de desconto Cuponomia, as vendas online de brinquedos tiveram aumento de 400% na internet.

O levantamento compara os primeiros dias de outubro de 2019 com o mesmo período de 2010. Além dos brinquedos, as roupas infantis tiveram um incremento de 300%. A terceira categoria que mais se destacou foram os vídeogames, com alta de 200%.

Leia e assista também:
Vendas no varejo avançam 3,4% em agosto e registram patamar recorde
Produção de veículos em setembro é a maior em 10 meses e vendas avançam 13%

Além da internet, o Dia das Crianças promete movimentar o comércio, segundo estimativa da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). 

A expectativa é que a data tenha o melhor resultado de vendas entre as datas comemorativas de 2020, que foram prejudicadas pela pandemia. O dado, claro, não considera as projeções para a Black Friday e o Natal. 

A Abrasce estima que, em média, cada consumidor irá gastar R$ 100 por presente para as crianças.

Na última quinta (8), a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou que as vendas do comércio varejista engataram o rumo para a recuperação, após as duas quedas provocadas pelo isolamento social. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook