CVM aponta que 40% das pessoas começaram a investir nos últimos cinco anos

Pesquisa da Comissão de Valores Mobiliários com 5 mil entrevistados indica o recente crescimento e popularização do mercado de capitais

Mariana Durão, do Estadão Conteúdo
26 de outubro de 2020 às 13:16

Investimento: cerca de 70% dos investidores que responderam à pesquisa têm formação superior, mas a CVM afirma que o estudo atingiu todos os níveis de escolaridade e faixas de renda

Foto: Mark Finn/Unsplash

Uma pesquisa da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) indica o recente crescimento e popularização do mercado de capitais. A análise prévia das respostas de 5 mil pessoas revela que 40% começaram a investir nos últimos cinco anos, especialmente no meio digital.

Segundo Bruno Luna, chefe da Assessoria de Análise Econômica e Gestão de Riscos (ASA/CVM), área responsável pela condução da pesquisa, já foi possível observar que uma parcela relevante do público-alvo já acessa investimentos mais sofisticados, como criptomoedas, derivativos e, inclusive, investimentos no exterior.

"O conhecimento sobre a existência de produtos de securitização e private equity, que foram foco na pesquisa, se mostrou elevado e há interesse desse público em acessar esses mercados", diz Luna, destacando que o público investidor em geral possui apetite por mais risco e diversificação de sua carteira de investimentos.

Leia também:
Aluguel de ações pode ser uma opção para incrementar rentabilidade do investidor
BTG avança no varejo com compra da Necton Corretora por R$ 350 mi

Cerca de 70% dos investidores que responderam à pesquisa têm formação superior, mas a CVM afirma que o estudo atingiu todos os níveis de escolaridade e faixas de renda, revelando o movimento de popularização do mercado de capitais brasileiro. Os meios digitais - como sites de corretoras e aplicativos - foram destacados como um dos principais canais de acesso aos investimentos, indicando um perfil de investidor mais autônomo.

Um dado que chamou atenção dos pesquisadores foi a diferença entre participantes do sexo masculino e feminino: 89% foram homens e apenas 11% mulheres. Além disso, as respostas se concentraram na região sudeste (65%) e Sul (16%).

A ASA/CVM fará um levantamento mais detalhado dos diversos perfis de respondentes e suas características. A área também está estudando regras em outros mercados e a literatura econômica sobre formação de poupança e decisão de investimento.

O objetivo da CVM é concluir e divulgar o estudo de Análise de Impacto Regulatório ainda em 2020 e realizar uma discussão mais ampla sobre futuros movimentos regulatórios relacionados às atuais regras e restrições de acesso aos diversos tipos de valores mobiliários.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook