Petrobras tem prejuízo de R$ 1,5 bi em 3º tri, marcado por despesas inesperadas

Excluindo os itens não recorrentes, "teríamos um lucro líquido de R$ 3,2 bilhões", disse a empresa

Do CNN Brasil Business, em São Paulo*
28 de outubro de 2020 às 19:50 | Atualizado 29 de outubro de 2020 às 08:17


A Petrobras reportou prejuízo líquido de R$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, ante lucro de R$ 9 bilhões no mesmo período do ano passado. O que afetou o resultado, segundo a companhia, foram vários itens não recorrentes, como adesão a programa de anistia tributária, informou a petroleira nesta quarta-feira.

Leia também:
Carrefour sobe a barra do e-commerce, e bancos projetam alta de 33% das ações
Localiza e Unidas lucram acima do esperado – mas Cade ainda preocupa analistas

O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação ajustado (Ebitda, na sigla em inglês) somou R$ 33,4 bilhões, versus R$ 32,6 bilhões no mesmo período do ano passado.

A receita da empresa foi de R$ 70,7 bilhões no trimestre, o que representou uma queda de 8,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

"Destacamos a aprovação da adesão aos programas de anistia tributária afetando tanto o lucro líquido quanto o Ebitda ajustado, e o prêmio pago na recompra de títulos, que afetou apenas o lucro líquido", disse a estatal.

O programa de anisitia tributária e a recompra de títulos custou para a estatal R$ 4,7 bilhões. 

Excluindo os itens não recorrentes, "teríamos um lucro líquido de R$ 3,2 bilhões", acrescentou a empresa.

A perda bilionária do período, porém, é 43% menor do que a do trimestre anterior, de R$ 2,7 bilhões. No período de abril a junho, suas contas tinham sido fortemente afetadas pelas quedas bruscas da cotação da commodity e da demanda por combustíveis, por conta da pandemia de covid-19. Essas dificuldades já não pesam tanto no caixa da companhia.

"A rápida resposta à recessão global está começando a dar resultados", afirmou o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, na carta de apresentação do resultado financeiro aos investidores. Ele acrescentou, contudo, que "há desafios difíceis à frente" e que a ideia continua a ser "maximizar valor e não produção".

Com isso, sinaliza que vai continuar focando nas finanças e remuneração dos investidores.

Segundo a Petrobras, os ganhos com maiores volumes de vendas de petróleo e derivados e maiores preços do Brent foram mais do que compensados por despesas financeiras.

Analistas de bancos e corretoras já esperavam pelo prejuízo. Segundo projeção realizada pela Agência Estado, que consultou quatro casas (Credit Suisse, XP Investimentos, Itaú BBA e Bradesco BBI) a perda seria de R$ 1,5 bilhão. Todos eles elogiaram, no entanto, os resultados operacionais divulgados previamente pela companhia. A avaliação é que a empresa vai bem, só falta a atividade econômica do País ajudar.

Exportações

A receita com exportações da Petrobras subiu 39,7% no terceiro trimestre do ano, comparado ao trimestre anterior, que foi gravemente afetado pela queda da demanda no auge da pandemia de covid-19. A receita totalizou US$ 20,9 bilhões, 8,5% acima do mesmo período em 2019.

Segundo dados da companhia referentes ao terceiro trimestre divulgados nesta quarta-feira, a China foi o principal destino das exportações de julho a setembro, com 62% do total, enquanto Singapura foi o principal importador de derivados da companhia, ficando com 65% das exportações dos produtos da empresa.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

*(com informações da Reuters e do Estadão Conteúdo)