Waack: EUA e China travam disputa política, tecnológica e comercial no Brasil

Motivo da disputa entre os gigantes da economia mundial no 'quintal' brasileiro é a implementação da rede do futuro: o 5G

Da CNN
12 de novembro de 2020 às 08:47

No quadro CNN Poder desta quinta-feira (12), na CNN Rádio, William Waack analisa a disputa entre Estados Unidos e China por influência na implementação da rede 5G no Brasil.

“Vamos começar com um provérbio indiano: ‘Quando dois elefantes brigam, quem sofre é o gramado’. E hoje foi a vez de o Brasil ser o gramado porque os dois elefantes, EUA e China, escolheram nosso território para travar essa enorme disputa deles que é uma disputa política, tecnológica e comercial”, disse Waack.

Ele relatou que o embaixador chinês no país considerou "desavergonhado" o diplomata norte-americano que veio de Washington para falar mal ao governo brasileiro da tecnologia chinesa para rede do futuro: o 5G.

Assista e leia também:
Apoiar 'rede limpa' não significa descartar Huawei; banimento requer decreto
Não estamos aqui para dizer o que o Brasil deve fazer, diz subsecretário dos EUA
Leilão do 5G deve acontecer, no máximo, até junho de 2021, diz Fábio Faria

“Isso mexe com toda a infraestrutura de comunicações no Brasil e no mundo. É um negócio de R$ 30 bilhões por ano”, afirmou.

Waack destacou que a Huawei, empresa chinesa que os americanos querem ver longe, é uma das principais fornecedoras de equipamentos para redes 5G e que sua tecnologia está entre as mais baratas. 

“Não é ela [Huawei] que investe nas redes de telecomunicações, são as operadoras de telefonia – e as operadoras compram equipamento onde é mais barato”, disse.

“O Brasil está se inclinando para o lado do elefante americano nessa briga na qual fomos hoje o gramado. Vamos ter que ter muita calma, muita paciência e entender como é que é uma briga de elefantes porque estamos dentro dela.”