Países da Ásia-Pacífico assinam um dos maiores acordos comerciais da história

O RCEP agrupa os 10 membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático, além de China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia

Da Reuters
16 de novembro de 2020 às 08:26 | Atualizado 16 de novembro de 2020 às 09:33

 

Quinze economias da Ásia-Pacífico formaram o maior bloco de livre comércio do mundo no domingo (15), um acordo apoiado pela China e que exclui os Estados Unidos, país que deixou um grupo comercial rival na região sob o governo presidente Donald Trump.

A assinatura da Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês) em uma cúpula regional de Hanói é mais um golpe para um grupo rival promovido pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, do qual seu sucessor Trump saiu em 2017.

Leia também:
Eleição de Biden causa alívio em executivos do setor de energia solar
Bolsas da Ásia fecham em alta após indicadores positivos e acordo comercial

 
Foto: Kham/Reuters


Em meio a questões sobre o envolvimento de Washington na Ásia, o RCEP pode cimentar a posição da China com mais firmeza como parceiro econômico do Sudeste Asiático, Japão e Coreia, colocando a segunda maior economia do mundo em melhor posição para moldar as regras comerciais da região.

Os Estados Unidos estão ausentes tanto do RCEP quanto do sucessor da Parceria Transpacífica liderada por Obama, deixando a maior economia do mundo de fora de dois grupos comerciais que abrangem a região de crescimento mais rápido do planeta.

O RCEP agrupa os 10 membros da Associação de Nações do Sudeste Asiático, além de China, Japão, Coreia do Sul, Austrália e Nova Zelândia. Ele visa reduzir progressivamente as tarifas em muitas áreas nos próximos anos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook