Abilio Diniz: Carrefour terá pressão para ser referência na luta contra racismo

O empresário e conselheiro da varejista disse ainda que o racismo demonstrado na situação é "completamente inaceitável".

Talita Nascimento, do Estadão Conteúdo
26 de novembro de 2020 às 13:34 | Atualizado 26 de novembro de 2020 às 13:35
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O empresário Abilio Diniz, presidente do Conselho de Administração da Península Participações, disse nesta quinta-feira estar profundamente indignado com a morte de João Alberto Silveira Freitas, em uma das lojas do Carrefour (CRFB3) em Porto Alegre (RS).

Leia também:
Caso João Alberto: Defensoria pede R$ 200 milhões de indenização ao Carrefour
Ações da CSN, Gerdau e Usiminas vão subir? É o que acredita o Goldman Sachs

"Como acionistas, faremos pressão para que o Carrefour se torne referência na luta contra o racismo", afirmou.

Ele disse ainda que o racismo demonstrado na situação é "completamente inaceitável".

O executivo participou de evento online organizado pela Empiricus na manhã desta quinta-feira.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook