Big Brother no home office: Microsoft cria software para medir produtividade

Com a tecnologia é possível saber quem mandou mais e-mails e até quem desliga a câmera durante reuniões de vídeo-chamada (cuidado com o pijama)

Juliana Faddul, colaboração para o CNN Brasil Business
27 de novembro de 2020 às 16:39
Home office: a nova ferramenta da Microsoft vai 'dedurar' a quantidade de e-mails enviada e se sua câmera está fechada
Foto: William Iven/Pixabay

Já imaginou se a empresa onde você trabalha souber que, enquanto rolava aquela reunião chatérrima que não te acrescenta nada, você ‘mutou’ a câmera para estender roupa? Ou que o seu colega ganhou um aumento por ter enviado três emails a mais que você? Pois é o que a Microsoft desenvolveu.

A empresa de tecnologia divulgou nesta semana um novo recurso da Microsoft 365 chamado Productivity Score, que rankeia quanto tempo os funcionários passam usando as ferramentas de trabalho.

Leia também:
Google lança Task Mate, app que paga para você fazer 'bicos' para a empresa
Lojas ficam sem estoque e internautas vendem PlayStation 5 por até R$ 15 mil

Com ele é possível que os gerentes tenham acesso aos dados individuais de cada funcionário, como quem mandou menos e-mails, quem participa de menos nas conversas de chats e até quem mais desliga a câmera durante uma reunião de trabalho.

As informações são contabilizadas durante 28 dias e guardadas por 180 dias.  Para cada ação, o funcionário leva cem pontos. Quem tiver mais pontos é considerado mais produtivo –sendo beneficiado. Segundo o site da Microsoft, o ranking visa mesclar a produtividade em experiências de tecnologia e também pessoais. Cada categoria tem o mesmo peso e a pontuação mais alta possível é de 800.

As categorias de pontuação são: comunicação, reuniões, colaboração de conteúdo, trabalho em equipe, mobilidade, análise de ponto de extremidade, conectividade de rede e integridade de aplicativos do Microsoft 365.

A divulgação do programa gerou rebuliço na internet. Há quem diga que isso pode ser descrito como fomentador de disputas internas no ambiente de trabalho. Outros que pode haver abuso de poder hierárquico. Há também quem foi além e afirmou que o software seria espionagem, já que divulga para os gestores dados individuais de cada funcionário.

A Microsoft lançou uma nota em seu site falando que o aplicativo é uma forma de “fornecer transparência em como sua organização funciona”. O programa ainda não está disponível aqui no Brasil. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook