Gol propõe incorporar a Smiles pagando R$ 22,32 por ação

A proposta avalia a Smiles em cerca de R$ 2,8 bilhões. Na sexta-feira, o valor de mercado da companhia era de aproximadamente R$ 2,7 bilhões

Paula Arend Laier, da Reuters
07 de dezembro de 2020 às 11:35 | Atualizado 07 de dezembro de 2020 às 11:36
Logo da Gol
Logo do companhia aérea: cada ação ordinária da Smiles dará ao titular o direito de receber 0,825 ação preferencial da Gol ou R$ 22,32 ou uma combinação de ação PN da Gol e dinheiro
Foto: Paulo Whitaker/Reuters


A Gol (GOLL4) divulgou nesta segunda-feira (7) proposta encaminhada ao conselho da administração da Smiles (SML3), com detalhes sobre a relação de troca envolvendo a incorporação da empresa de programa de fidelidade de clientes pela companhia aérea, o que fazia Smiles avançar quase 6%.

A proposta avalia a Smiles em cerca de R$ 2,8 bilhões. Na sexta-feira, o valor de mercado da companhia era de aproximadamente R$ 2,7 bilhões.

De acordo com os termos propostos, cada ação ordinária da Smiles dará ao titular o direito de receber 0,825 ação preferencial da Gol ou R$ 22,32 ou uma combinação de ação PN da Gol e dinheiro.

"As escolhas dos acionistas estarão sujeitas a determinados ajustes, de forma que nenhum acionista receberá mais de 80% de sua consideração em ações preferenciais da Gol ou em dinheiro", afirmou a companhia aérea".

Leia também:
Gol registra geração líquida de caixa pela primeira vez desde início da crise
Demanda por voos da Gol cai 43,8% em novembro ante o mesmo mês de 2019

A relação de troca representa um prêmio de aproximadamente 26,3% sobre o preço médio ponderado pelo volume dos últimos 30 dias de R$ 17,67, disse a Gol. Na sexta-feira, a ação da Gol fechou a R$ 27,05 e o papel da Smiles, a R$ 21,73.

Em dezembro do ano passado, a Gol havia proposto a minoritários R$ 41,74 por ação, parte em dinheiro e parte em ação. Naquela ocasião, a ação da Smiles havia fechado no último pregão antes do anúncio ao mercado a R$ 31,74.

Quando a Gol propôs a compra de acionistas minoritários pela primeira, em outubro de 2019, as ações da Smiles valiam R$ 48,26.

Desde então, em meio a efeitos da pandemia de Covid-19 no setor aéreo mundial, as ações da Gol despencaram, o que também contaminou Smiles. Mesmo com uma recuperação recente na esteira de notícias promissoras sobre uma vacina contra o coronavírus, Gol PN ainda perde 26,5% no acumulado de 2020, enquanto Smiles ON recua 38%.

Por volta de 10h15, as ações da Smiles avançavam 5,8%, enquanto os papéis da Gol tinham elevação de 3,5%.

Em comentário a clientes, o Credit Suisse afirmou que o momento do anúncio, em que a empresa enfrenta queima de caixa pela queda na demanda por viagens aéreas, e a relação de troca surpreenderam, com o analista Regis Cardoso destacando ainda a redução da oferta pelas ações da Smiles.

A Gol afirmou nesta segunda-feira que mudanças na dinâmica competitiva tanto no mercado de transporte aéreo quanto no de programa de fidelidade, recentemente aceleradas e amplificadas pelos efeitos da pandemia, tornam necessário o término da atual estrutura acionária para garantir competitividade a longo prazo.

A companhia aérea também comunicou ao conselho da Smiles sua intenção de que as análises e decisões ligadas à proposta ocorram em até 30 dias e que o assunto seja deliberado em assembleias de acionistas de ambas as companhias que devem ser convocadas até 18 de janeiro.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook