Com um dezembro mais agitado que o normal em Brasília, Guedes adia férias

O ministro também se diz preocupado com o avanço da Covid-19 no Rio de Janeiro, onde passaria o Natal

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo
21 de dezembro de 2020 às 07:22 | Atualizado 21 de dezembro de 2020 às 07:29
Capa do podcast Abertura de Mercado
Foto: CNN Brasil

A notícia, aliada a uma discussão envolvendo o ministro, o presidente e Rodrigo Maia na sexta-feira (18), fez com que Bolsonaro se apressasse em justificar que tudo corre bem na sua relação com o ministro da Economia. “Ele falou que vai sair comigo, quando acabar meu mandato”, afirmou Bolsonaro sobre Guedes.

No episódio de hoje:

- Paulo Guedes decide passar o Natal em Brasília para evitar a alta de contaminações no Rio de Janeiro e resolver pendências com a equipe econômica;

- Bolsonaro concede entrevista ao próprio filho, Eduardo Bolsonaro, para afirmar que tudo vai bem com Guedes e que o ministro segue com ele até o fim do mandato;

- Em uma live na quinta-feira (17), Bolsonaro culpou Rodrigo Maia pelo 13º do Bolsa Família não ter avançado este ano;

- No dia seguinte, Maia se defendeu, chamou o presidente de mentiroso e recorreu a uma coletiva de Paulo Guedes para reforçar seu argumento;

- O fim das eleições municipais 2020: Macapá elege Dr Furlan (Cidadania) no segundo turno;

- Josiel Alcolumbre (DEM) se junta ao grupo de candidatos apoiados por Jair Bolsonaro que saíram derrotados das eleições;

- Pelo segundo dia consecutivo, o Brasil registrou, neste domingo (20), a maior média móvel de contaminações pela Covid-19 desde o início da pandemia;

- Depois de duas confirmações, outros 501 casos de reinfecção pelo coronavírus estão sendo investigados pelo Ministério da Saúde;

- As mutações do vírus podem ser as responsáveis por essas segundas contaminações;

- Uma nova mutação, por sinal, está causando preocupação na Europa. Ao menos outros dois países europeus já registraram casos de contaminação por um coronavírus diferente que surgiu na Inglaterra;

- Por conta dessa mutação, vários países como Holanda, Bélgica e Itália já estão proibindo voos do Reino Unido;

- Os Estados Unidos começam, nesta segunda-feira (21), o uso emergencial das vacinas da Moderna. Mais de seis milhões de dose já estão sendo distribuídas pelo país;

- A ceia de Natal vai ficar mais cara este ano. Em média, os produtos tradicionais da celebração subiram 20% em 2020;

- A fintech Creditas é o mais novo unicórnio brasileira, avaliada em US$ 1,75 bilhão;

- A Tesla, fabricante de carros elétricos, entra oficialmente para a S&P 500 nesta segunda;

- As montadoras que produzem carros de luxo no Brasil não parecem satisfeitas com o mercado nacional. Depois da Mercedes-benz, a Audi também pode parar de produzir seus modelos desse segmento no país;

- Uma lei sancionada por Donald Trump pode tirar empresas chinesas da bolsa americana. A sanção será aplicada caso as companhias não sigam os padrões de auditoria norte-americanos por três anos consecutivos;

- Autoridades chinesas responderam que a medida é discriminatória e oprime politicamente as empresas do país.

Na agenda desta segunda-feira (21), o Banco Central divulga os números do Boletim Focus. A Receita Federal também informa a arrecadação do mês de novembro.