Aposentados e pensionistas denunciam cobranças de empréstimos não solicitados

Entre outubro e dezembro, Procon-SP registrou mais de 1 mil reclamações de empréstimos consignados indevidos

Tatiana Paiva, colaboração para CNN Brasil Business
31 de dezembro de 2020 às 13:12
Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil


Aposentados e pensionistas do INSS estão relatando depósitos indevidos em suas contas bancárias, cobrados com juros e multas, mesmo que não tenham contratado nenhum tipo de financiamento. Segundo o Procon de São Paulo, entre outubro e dezembro de 2020, foram registradas mais de 1 mil denúncias de empréstimos consignados não solicitados.

Muitos não percebem o problema até que a cobrança aconteça. Isso porque os valores depositados acabam sendo associados à parcela do 13º ou a algum pagamento que tenham direito a receber. Depois disso, o susto: boletos com juros altíssimos e descontos de até 40% no benefício que a pessoa recebe.

Leia também:
Prazo para sacar até R$ 1.045 no FGTS termina nesta quinta; veja como fazer
Prova de Vida para beneficiários do INSS fica suspensa até 31 janeiro

O Procon-SP avalia que a prática se tornou mais comum depois que as instituições financeiras foram autorizadas a aumentar o valor do empréstimo consignado para 35% descontado do holerite de aposentados e pensionistas.

O órgão já entrou em contato com as instituições financeiras pedindo o cancelamento dos empréstimos e solicitou ao próprio INSS que esse tipo de desconto não seja realizado sem comprovação da autorização do beneficiário.

Como reclamar

Caso o consumidor tenha algum desconto em seu benefício referente a um empréstimo não contratado, a ouvidoria do INSS deve ser acionada imediatamente pelo site ou pelo telefone 135 para solicitar o cancelamento da cobrança e a devolução dos valores descontados.

A reclamação também deve ser formalizada junto à instituição financeira e, caso o problema não seja resolvido, deve ser registrado no Procon-SP.