IPO e entrega em 1 dia no Sul e Sudeste: os planos do unicórnio MadeiraMadeira

Depois de receber aporte de US$ 190 milhões liderado por Softbank e Dynamo, a startup paranaense de venda de móveis entrou para o grupo mítico nesta quinta (7)

Matheus Prado, do CNN Brasil Business, em São Paulo
07 de janeiro de 2021 às 13:30

 

Depois de receber aporte de US$ 190 milhões liderado por Softbank e Dynamo, a startup paranaense de venda de móveis MadeiraMadeira entrou oficialmente nesta quinta-feira (7) para o time dos unicórnios brasileiros (empresas com valor de mercado superior a US$ 1 bilhão).

Entre os investidores também estão empresas especializadas em mercado público, o que indica um grande plano futuro da marca: abrir capital em bolsa de valores. O CEO da companhia, Daniel Scandian, confirma o desejo, mas diz não ter pressa.

Leia também:
XP: Bolsa terá até 100 ofertas de IPO e follow-on em 2021
Inovação: Quais empresas podem ser os 'unicórnios' brasileiros em 2021
MadeiraMadeira recebe novo aporte de US$ 190 mi e vira novo 'unicórnio' nacional

"Estamos felizes com a diversidade dos nossos investidores e queremos, sim, abrir capital", diz. "Não sabemos se no Brasil ou nos Estados Unidos, e nem consideramos uma prioridade de curto prazo, mas com certeza é uma meta interna da companhia."

Plano de entregar em um dia

 

A MadeiraMadeira cresceu 120% em 2020. Para 2021, segundo Scandian, o objetivo é antecipar investimentos que estavam previstos para os próximos anos. O principal plano, ao que tudo indica, passa diretamente pela ampliação da infraestrutura logística disponível, que conta atualmente com 15 centros de distribuição espalhados pelo Brasil.

"Algumas varejistas levantaram a barra durante a pandemia e nós queremos evoluir a estrutura para nós e para os parceiros, já que também funcionamos como marketplace", diz. "A ideia é conseguir entregar em um dia em São Paulo já em fevereiro e no restante das capitais da região Sul e Sudeste em 2021." 

O executivo também afirma que a maior presença de capital nos caixas da companhia poderá permitir algumas apostas, possibilitando um avanço mais rápido que o previsto para o interior do estado e outras regiões, como Norte e Nordeste. "Queremos criar a melhor malha do setor no Brasil", diz.

Showroom presencial e linha própria

 

Com amplo destaque no mercado online, a empresa tem se esforçado para expandir sua presença física. Nos últimos anos, abriu 9 lojas-conceito ou showrooms, para ampliar o escopo de consumidores endereçados pela marca.

"O e-commerce no Brasil correspondia a 7% das vendas do varejo. Na pandemia, teve um pico de 17% e agora estabilizou em 10%. Organicamente esse número cresce 1% ao ano. Precisamos estar onde o cliente estiver", afirma. "Também passa por uma questão de confiança da marca, branding."

A empresa desenvolveu sua linha própria de móveis, com cerca de 400 produtos. Daniel conta que a empresa foi buscar um ex-funcionário da Ikea, gigante sueca líder do segmento, para ajudar no desenvolvimento deste e entregar móveis de qualidade aos clientes, algo que, segundo ele, vem sendo deixado de lado por aqui.   

A ideia da empresa é conseguir nivelar a venda de produtos próprios e terceirizados até o final do ano.

Aquisições em vista

Com cerca de 1.300 funcionários, a MadeiraMadeira também tem planos de crescer seus negócios por meio de aquisições. Para isso, montou uma equipe específica para avaliar oportunidades e empresas. Segundo Scandian, "é uma ferramenta para cumprir objetivos, e não um diferencial".