Governo confirma reajuste de 5,45% para aposentados; teto do INSS vai a R$ 6.433


Thâmara Kaoru, do CNN Brasil Business, em São Paulo
13 de janeiro de 2021 às 12:40 | Atualizado 13 de janeiro de 2021 às 12:42
Dinheiro
Foto: USP Imagens

O governo federal confirmou em publicação no Diário Oficial da União desta quarta-feira (13) que o reajuste para aposentados e pensionistas do INSS que recebem acima do salário mínimo será de 5,45% neste ano. Com isso, o teto previdenciário passa de R$ 6.101,06 para R$ 6.433,57.

O reajuste para quem recebe acima do salário mínimo é concedido com base no INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado de 2020. O índice de 5,45% foi divulgado na terça-feira (12) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Para quem recebe benefício no valor do salário mínimo, o reajuste seguirá o piso nacional, que neste ano teve alta de 5,26%, e passou de R$ 1.045 para R$ 1.100. O aumento ficou abaixo da inflação oficial. O salário mínimo deveria subir mais R$ 2 para repor a inflação de 2020.

Valores começam a ser pagos em janeiro

Os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vão começar a receber o benefício com reajuste a partir do dia 25 de janeiro.

A data do pagamento vai depender do valor que o segurado recebe e qual é o final do número do benefício, sem considerar o dígito. No dia 25, por exemplo, começam a receber os segurados que têm número final 1 e ganham até um salário mínimo. A partir do dia 1º de fevereiro, começam a receber aqueles que ganham mais do que o piso nacional. Os pagamentos seguem até 5 de fevereiro.

Confira as datas

O número final do benefício não considera o dígito. Por exemplo, se o número é 123.456.789 - 0, desconsidere o 0 (dígito). O número final é 9. As datas também são separadas entre quem recebe até um salário mínimo e quem ganha mais do que isso. Veja: