Ford fecha fábrica na Alemanha por 1 mês em meio a escassez global de chips

Por escassez de chips utilizados na fabricação automotiva, Ford deixará fábrica em Saarlouis (Alemanha) ociosa até 19 de fevereiro

Da CNN*
19 de janeiro de 2021 às 01:01
Ford anunciou suspensão de atividades em fábrica na Alemanha
Foto: Divulgação


A Ford ordenou uma suspensão de produção de um mês em uma de suas fábricas na Alemanha, o mais recente sinal de que uma escassez global de chips está colocando as montadoras sob pressão crescente e ameaçando a recuperação da pandemia.

De forma geral, as principais montadoras sofrem com a escassez global de chips, que são usados ??em um número crescente de aplicações, incluindo sistemas de assistência ao motorista e controle de navegação. O carro médio tem entre 50 e 150 chips instalados.

Com falta da matéria-prima, a Ford disse que deixará sua fábrica em Saarlouis, Alemanha, ociosa de segunda-feira até 19 de fevereiro por causa da escassez de chips e a fraca demanda. A fábrica produz o carro mais popular da Ford na Europa, o Focus, e emprega cerca de 5 mil trabalhadores.

 

"Estamos monitorando de perto a situação e ajustando as programações de produção para minimizar o efeito (do fechamento) a nossos funcionários, fornecedores, clientes e revendedores em toda a Europa", disse um porta-voz da Ford. "Neste momento, não prevemos quaisquer ações semelhantes em nossas outras instalações europeias."

A Ford foi forçada a fechar uma fábrica de SUVs em Louisville, no estado americano Kentucky, na semana passada, devido à escassez de semicondutores. Mas a paralisação na Alemanha sugere que o problema, que está afetando as montadoras de todo o mundo, pode piorar antes de melhorar.

A companhia anunciou recentemente o fim da produção de carros no Brasil sem citar relação com a crise da distribuição de chips. De acordo com comunicado da empresa, "a pandemia de Covid-19 amplificou a persistente capacidade industrial ociosa e a queda nas vendas, que resultaram em anos de perdas significativas". A empresa afirmou que vai trabalhar em colaboração com os sindicatos e outros parceiros no desenvolvimento de "um plano justo e equilibrado para minimizar os impactos do encerramento da produção."  

Crise dos chips

Os principais fabricantes de semicondutores reatribuíram a capacidade das montadoras no ano passado, após a pandemia reduzir as vendas de carros, enviando chips para empresas que produzem smartphones, sistemas de jogos e outros aparelhos de tecnologia que continuaram em alta demanda. Os suprimentos ainda estão apertados e as montadoras estão lutando para garantir os chips de que precisam.

Volkswagen, Fiat Chrysler, Toyota, Nissan e Honda estão entre as outras montadoras que sofrem com a escassez de chips.

A dificuldade acontece em um momento crucial para as montadoras, que sofreram um colapso nas vendas nos primeiros meses da pandemia, mas continuam sob intensa pressão dos reguladores globais para investir pesadamente em carros elétricos. A empresa de pesquisas Bernstein estima que as vendas globais de veículos crescerão 9% em 2021, após uma queda esperada de 15% no ano passado - mas a falta de chips está colocando a recuperação em risco.

A Volkswagen disse em comunicado no mês passado que precisará ajustar a produção nas fábricas da China, América do Norte e Europa neste trimestre. As mudanças afetarão a produção do best-seller VW Golf, bem como os modelos de suas marcas Audi, Skoda e Seat.

De acordo com analistas do UBS, a maior montadora do mundo pode perder a produção de 100.000 unidades nos primeiros três meses do ano, ou cerca de 4% da produção trimestral global, como resultado da escassez de componentes.

"Estamos fazendo tudo ao nosso alcance para minimizar a perda de produção e garantir que as entregas normais aos clientes possam ser retomadas o mais rápido possível", disse o gerente de compras do Grupo Volkswagen, Murat Aksel, em um comunicado no mês passado.

* Com informações de Charles Riley e Hanna Ziady, do CNN Business