Auxílio emergencial: parcelas retidas serão pagas aos beneficiários no dia 28

Ao todo, 196 mil beneficiários terão direito ao pagamento

Estela Aguiar*, do CNN Brasil Business, em São Paulo
26 de janeiro de 2021 às 09:34 | Atualizado 26 de janeiro de 2021 às 09:35
Aplicativo para receber auxílio emergencial do Governo Federal
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil (21.jul.2020)

Os beneficiários do auxílio emergencial que foram considerados elegíveis -- e que estavam com parcelas retidas -- receberão o dinheiro na quinta-feira (28). O pagamento será concedido aos beneficiários que contestaram o recebimento por meio da plataforma digital entre 7 e 16 de novembro e entre 13 e 31 de dezembro.

Também receberão nesta data os beneficiários que tiveram o pagamento reavaliado em 2021, decorrente de atualizações de dados governamentais, de acordo com informações publicadas no Diário Oficial da União (DOU), nesta terça-feira (26).

Ao todo, 191 mil beneficiários terão direito ao pagamento por se enquadrarem no primeiro caso e outros 5 mil, no segundo caso. 

 

 

O dinheiro será depositado na poupança social digital e poderá ser sacado ou transferido posteriormente.

Histórico

O auxílio emergencial foi aprovado em abril do ano passado para garantir que os beneficiários -- como trabalhadores sem carteira assinada, autônomos, MEIs e desempregados -- pudessem ter recursos financeiros enquanto durasse a pandemia do novo coronavírus.

Ao todo, foram cinco pagamentos de R$ 600 e quatro de R$ 300, devido à prorrogação aprovada em medida provisória em setembro de 2020. No caso de mães que são chefes de famílias monoparentais, o valor inicial era de R$ 1.200 e posteriomente de R$ 600.

Na segunda-feira (25), em entrevista com ao CNN Brasil Business, o deputado federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ) não enxerga outra opção a não ser a volta do auxílio emergencial. Não por acaso, ele é o autor do projeto de lei 5650/20, que determina a extensão do benefício de R$ 600 até abril.

“A curto prazo, não temos outra escolha. A Câmara como um todo é favorável pela extensão dos R$ 600 para que tenhamos uma luz no fim do túnel”, afirma. 

*Com supervisão de Natália Flach