Análise: Traders amadores desafiam Wall Street; mas e agora?

Não existe um plano para depois que traders amadores provarem que os investidores de Wall Street estavam errados, analisa o editor-chefe da CNN americana

Análise de Chris Cillizza, da CNN
28 de janeiro de 2021 às 12:24
Loja da varejista de jogos GameStop
Foto: Mike Mozart/Funny Youtube 

Por trás do apelo populista e furioso de Donald Trump está a seguinte ideia: as elites pensam que sabem mais do que você. Elas acham que podem lhe dizer como viver e no que acreditar. Mas adivinha? Nós, o povo, somos mais espertos do que as elites!

Trump elucidou este argumento em sua forma mais pura em um comício na Dakota do Norte em 2018, quando disse:

“Eu conheço essas pessoas que eles chamam de 'elite'. Essas pessoas. Eu olho para elas e digo: 'Isso é elite?' Temos mais dinheiro, temos mais inteligência, temos melhores casas, apartamentos, temos barcos mais bonitos, somos mais espertos do que eles e dizem que são de elite? Somos a elite. Você é a elite. Nós somos a elite."

"Então eu sugiro que a gente continue chamando essas pessoas de elite - e convenhamos, eles têm sido os grandes perdedores deste jogo. Mas enquanto isso vamos nos autointitular de superelite - e lembre-se de que você realmente é a superelite. Você trabalha mais duro, mas é realmente mais inteligente do que eles. Nós somos a superelite."

O que tornou o argumento de Trump tão potente, politicamente falando, é que ele não estava apenas provocando o que ele chama de elite. Ele estava dizendo que os "joão ninguém" precisavam se levantar e realmente "mostrar a eles" como estavam errados - e que votar nele era a melhor maneira de expressar sua raiva e frustração com a condescendência de seus supostos opressores. Donald Trump se ofereceu para ser um grande dedo médio coletivo para as elites. E ele venceu.

Tudo isso me leva ao atual - e aparentemente inexplicável - disparo nas ações da GameStop, a rede de lojas de videogames que ganhou dinheiro ao longo dos anos graças à localização em shoppings.

As origens desse movimento estão na avaliação dos investidores profissionais de Wall Street de que as ações da GameStop, mesmo antes desse aumento recente, estavam supervalorizadas. Afinal, os shoppings estão em crise.

"Os shoppings estão condenados: 25% serão destruídos em cinco anos", dizia uma manchete da CNN em 2017. Essa quebradeira só foi acelerada pela pandemia Covid-19.

Como resultado da avaliação do mercado de que a GameStop estava, essencialmente, condenada à falência, investidores começaram a vender as ações a descoberto - apostando que o preço dos papéis iria cair. Isso acontece o tempo todo com diversas ações, sem que isso gere um alarde. É assim que funciona o mercado de ações.

Só que, desta vez, os amadores decidiram se revoltar contra os profissionais. Usando o fórum Reddit - na verdade, um fórum à margem conhecido como "Wall Street Bets" -, os traders amadores fizeram um mutirão coordenado para comprar ações da GameStop e fazer com que os preços valorizassem. (É importante lembrar que o Reddit também foi um ponto de encontro para os mais fervorosos apoiadores do Trump em 2016).

Esse movimento, que tem como único objetivo ferrar os investidores profissionais, recebeu o apoio inesperado de ninguém menos do que o fundador da Tesla, Elon Musk, que tuitou "Gamestonk!" com um link para o subreddit dos organizadores na terça-feira (26).

Musk também é um crítico de longa data da "censura" em redes sociais e um cético proeminente da pandemia de Covid-19. Parece alguém que conhecemos?

E não há dúvida de que a revolta populista funcionou para as ações da GameStop. Em 28 de dezembro, o papel era negociado a US$ 20. Nesta quinta (28), chegou a ultrapassar os US$ 500 antes da abertura.

Ok, mas e agora?

Qual é o fim do jogo para os apostadores da GameStop? Ok, agora que eles provaram que podem fazer os investidores profissionais passarem vergonha e ressuscitarem uma empresa considerada morta pelo mercado (pelo menos por um tempo), qual é o plano?

Porque eles realmente não acreditam que a GameStop repentinamente se transformou numa nova Amazon ou Apple ou Google. Ainda é um negócio que obtém seu valor de mercado com a venda de lojas físicas em shoppings. O que, de novo, não é exatamente uma grande área crescimento dos próximos anos.

A questão é que não há nenhum ponto além de provar que os investidores de Wall Street não são tão inteligentes quanto pensam e que eles não têm a capacidade de controlar tudo.

O que, novamente, tem suas raízes no trumpismo. Toda a campanha à presidência de Trump estava pautada na ideia de culpar elites. E, bem, não havia realmente um plano além disso. Fazer estrago era o ponto. 

Essa estratégia (se é que podemos usar essa palavra) tem consequências enormes. A provocação só vai te levar até certo ponto. Não é uma solução para problema nenhum. É apenas uma forma de expressar frustração, raiva e sentimento de impotência.

Pense desta maneira: mostrar o dedo do meio a alguém pode fazer você se sentir bem naquele momento. Mas não resolve nada.

Texto traduzido. Leia o original, em inglês.