Mesmo com pandemia, número de empresas abertas supera as fechadas em 2,3 milhões

Ao todo, 3,359 milhões de novos negócios foram abertos e 1,044 milhão encerrados. Com isso, o saldo positivo representa alta de 6% ante 2019

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
02 de fevereiro de 2021 às 11:11 | Atualizado 02 de fevereiro de 2021 às 11:32
Empreendedor
Empreendedor
Foto: Paula Vermeulen / Unsplash


Mesmo com a crise econômica causada pela pandemia de Covid-19, o número de empresas abertas no Brasil supera as fechadas em 2,315 milhões em 2020. O número, divulgado pelo ministério da Economia nesta terça-feira (2), é o maior de toda a série histórica, iniciada em 2010. 

Ao todo, 3,359 milhões de novos negócios foram abertos e 1,044 milhão encerrados. Com isso, o saldo positivo representa alta de 6% ante 2019. No total, o ano passado encerrou com 19.907.733 empresas ativas. 

 

Para a equipe econômica, os números demonstram que a economia tem reagido bem mesmo no cenário de pandemia que causou uma recessão econômica no país estimada entre 4% e 5%. 

"Os dados demonstram o empenho dos órgãos federais, estaduais e municipais na implantação de melhorias para tornar o ambiente de negócios mais dinâmico no País, tanto que o tempo de análise dos pedidos de abertura de novos negócios caiu consideravelmente em 2020", diz a pasta.

Tempo médio caiu 

Além do saldo positivo em empresas abertas, o tempo para abrir um novo negócio no Brasil caiu 43%, equivalente a um dia e 22 horas, no ano passado. Com isso, para abrir uma empresa no país agora demora, em média, dois dias e 13 horas. 

Apostando em diminuir esse tempo, o ministério da Economia iniciou neste ano o projeta "Balcão Único" no Rio de Janeiro e em São Paulo, as duas capitais brasileiras avaliada pelo relatório Doing Business do Banco Mundial. A medida deve possibilitar a abertura de uma empresa de forma virtual em apenas um dia. 

"Ademais, espera-se que o Brasil alavanque sua posição no ranking Doing Business do Banco Mundial e, consequentemente, atraia mais investimentos e geração de emprego e renda para o Brasil", ressalta a pasta, em nota.

A facilitação de negócios no Brasil é uma promessa da equipe econômica, que conta com a chegada de novas empresas no país para o incentivo de investimentos e com um cresciment econômico baseado em recursos da iniciativa privada.