Mais ou menos petróleo? Petroleiras se dividem sobre futuro do setor

Os especialistas dizem que, se essas empresas realmente vão mudar de rumo, isso deve acontecer em breve, ou seus negócios simplesmente ficarão para trás

Julia Horowitz, do CNN Business
04 de fevereiro de 2021 às 05:00
Bombeamento de petróleo em Scheibenhard, França 06/10/2017
Foto: Reuters/Christian Hartmann

A crise climática e a pandemia do coronavírus estão dividindo rapidamente os titãs da indústria do petróleo em dois campos. Existem grandes consequências dependendo do lado que eles escolherem.

Um grupo é formado por gigantes do petróleo europeus como a BP, Shell e Total, que estão tentando se distanciar da produção de petróleo e gás e transformar suas empresas.

O outro grupo inclui as norte-americanas ExxonMobil e Chevron, nas quais os executivos apostam que a demanda por petróleo aumentará novamente após a pandemia, apesar da pressão global para descarbonizar a economia, reduzindo a necessidade de reformas dramáticas.

Os dois lados foram atingidos por bilhões de dólares em perdas em 2020 e enfrentam um incerto 2021, como demonstrado pelos relatórios de resultados mais recentes. Mas, embora a BP e a Shell possam apontar suas iniciativas verdes, os produtores dos EUA estão sob pressão crescente, especialmente devido à mudança na direção da política climática no primeiro dia do governo Biden.

Os especialistas dizem que, se essas empresas realmente vão mudar de rumo, isso deve acontecer em breve, ou seus negócios simplesmente ficarão para trás.

“Ambos os lados não podem estar certos”, disse Andrew Logan, diretor sênior de petróleo e gás da Ceres, uma organização sem fins lucrativos de sustentabilidade. “Bilhões de dólares estão sendo apostados no resultado”.

Enquanto isso, nos bastidores, Wall Street continua cética em relação a todo o setor. Os investidores não estão convencidos de que a BP e a Shell podem ter sucesso no setor de energia renovável cada vez mais lotado, enquanto a Exxon enfrenta enorme pressão de investidores ativistas para traçar um novo caminho. As ações de petróleo podem ter um ano difícil pela frente, não importa o que aconteça. 

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês)