Ações da Petrobras lideram queda, após comunicados e aumento de combustíveis

É a primeira alta após a reunião entre o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, e o presidente Jair Bolsonaro na sexta-feira em Brasília

Natália Flach, da CNN Brasil Business
08 de fevereiro de 2021 às 11:01 | Atualizado 08 de fevereiro de 2021 às 18:59
petrobras
Foto: Sergio Moraes/Reuters

As ações da Petrobras registraram a maior queda entre os papéis do Ibovespa, nesta segunda-feira (8). Os papéis (PETR4) e (PETR3) recuaram 3,14% e 4,14%, respectivamente.

O motivo são os comunicados da Petrobras. Na última sexta-feira (5), a empresa informou que a janela para verificação do alinhamento dos preços domésticos ao mercado internacional passou de trimestral para anual. A informação pegou o mercado financeiro de surpresa, principalmente porque a companhia informou que esse novo prazo estava em vigor desde junho do ano passado, como noticiou o diretor do CNN Brasil Business, Fernando Nakagawa. No entanto, no domingo (7), a empresa divulgou outro comunicado dizendo que a política de preços não foi alterada.

“A manutenção da periodicidade de aferição da aderência entre o preço realizado e o preço internacional, adotada desde junho de 2020 e confirmada em janeiro de 2021, foi comunicada equivocadamente pela imprensa como alteração da política comercial da companhia”, informou a companhia.

Em meio a incertezas, é certo que os combustíveis vão subir. A Petrobras anunciou nesta segunda aumento de 8,2% na gasolina e de 6,2% no diesel, enquanto o gás de cozinha subirá 5,1%, a partir da meia-noite de terça-feira (9). É a primeira alta após a reunião entre o presidente da estatal, Roberto Castello Branco, e o presidente Jair Bolsonaro na sexta-feira em Brasília.

Segundo a estatal, o litro da gasolina vendido nas refinarias aumentará R$ 0,17, o que levará o valor médio para R$ 2,25 por litro. Esse reajuste equivale a um aumento médio de 8,2%. No caso do diesel, o aumento será de R$ 0,13, para R$ 2,24 por litro. Nesse caso, o valor equivale à alta de 6,2%. O gás de cozinha também será reajustado, com aumento de R$ 0,14 por quilo, para R$ 2,77 – reajuste de 5,1%.