Bitcoin bate novo recorde de US$ 48,2 mil com a Tesla como motor da alta

Os investidores viram nesse movimento da montadora a possibilidade de a criptomoeda se tornar um meio de pagamento popular entre empresas e pessoas

Natália Flach, do CNN Brasil Business, em São Paulo
09 de fevereiro de 2021 às 10:15 | Atualizado 09 de fevereiro de 2021 às 10:16
Dólar Bitcoin
Foto: Dado Ruvic/Reuters


O bitcoin continua na trajetória de valorização rumo aos US$ 50 mil. Nesta terça-feira (9), a criptomoeda bateu recorde ao ser negociada por US$ 48,2 mil, de acordo com o Refinitiv. O motivo? O anúncio da Tesla, na segunda-feira (8), de que investiu US$ 1,5 bilhão na criptomoeda e que estuda adotar pagamentos em bitcoin.

Os investidores viram nesse movimento a possibilidade de a criptomoeda se tornar um meio de pagamento popular tanto entre empresas quanto entre pessoas. Até o momento, o ativo é mais visto como investimento do que como moeda.

 

Desde março, quando atingiu o seu menor valor nos últimos anos até esta terça, o bitcoin teve uma valorização de 1.150%. Só na segunda-feira o avanço foi de 20%. O ethereum, outra criptomoeda bastante negociada, também surfou nesse movimento e bateu recorde na segunda ao ser negociado em US$ 1.827.

Entenda

Segundo o comunicado divulgado na segunda-feira, a Tesla comprou US$ 1,5 bilhão em bitcoin e pode adquirir mais criptomoedas de tempos em tempos e por um longo período. Além disso, "espera começar a aceitar bitcoin como forma de pagamento pelos produtos em futuro próximo, sujeito às aplicações das leis e inicialmente com base restrita".

A compra de bitcoin só foi possível porque, em janeiro, a companhia fundada por Elon Musk atualizou a política de investimentos para fornecer mais flexibilidade e diversificação, além de maximizar os retornos sobre o caixa. "Como parte da nova política, podemos investir uma parte desse dinheiro em certos ativos de reserva alternativos especificados", de acordo com o comunicado da Tesla.