Uber perdeu US$ 6,8 bilhões no ano passado, e isso é uma boa notícia

A empresa afirmou que pretende tornar a operação lucrativa antes do final deste ano

Sara Ashley O'Brien, CNN Business
11 de fevereiro de 2021 às 15:58
Uber
Uber pede vacinação antecipada aos funcionários
Foto: REUTERS/Callaghan O'Hare

No ano passado, a empresa de mobilidade Uber perdeu impressionantes US$ 6,8 bilhões — e isso é realmente uma boa notícia. O motivo: o prejuízo foi menor do que os US$ 8,5 bilhões de 2019. Isso foi possível porque a empresa vendeu empreendimentos caros, cortou funcionários e se concentrou no que seu CEO chamou de "crescimento lucrativo".

No último trimestre de 2020, a empresa teve prejuízo de US$ 968 milhões, incluindo US$ 236 milhões em despesas de compensação com base em ações, ante quase US$ 1,1 bilhão do ano anterior. O CFO Nelson Chai disse em um comunicado que a Uber continua "bem encaminhado para atingir nossas metas de lucratividade em 2021".

A Uber afirmou que pretende tornar a operação lucrativa antes do final deste ano. Assim como a Lyft, que divulgou seus resultados do quarto trimestre na terça-feira, a Uber viu alguma melhora em relação ao terceiro trimestre, mas ainda experimentou queda na receita devido ao impacto da pandemia em seus negócios. O faturamento no quarto trimestre foi de US$ 3,2 bilhões, recuo de 16% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A Uber continuou se apoiando no Eats, seu negócio de entrega de alimentos, que viu a sua receita disparar 224% para US$ 1,4 bilhão no quarto trimestre em comparação com o ano anterior. Já o faturamento proveniente do transporte de passageiros foi de US$ 1,5 bilhão, recuo de 52% em relação ao ano anterior.

A empresa tem trabalhado para fortalecer sua carteira de entregas nos últimos meses. Em julho, adquiriu um concorrente chamado Postmates, por US$ 2,65 bilhões. Na semana passada, a empresa anunciou a compra da startup de entrega de álcool Drizly.