Lucro da Cosan recua 65% para R$ 852 milhões; empresa prevê recuperação em 2021

Cosan reportou lucro líquido de R$ 620,2 milhões no quarto trimestre, queda de 21,8% na comparação anual

Roberto Samora, da Reuters
12 de fevereiro de 2021 às 10:31 | Atualizado 12 de fevereiro de 2021 às 10:58
Cosan
Cosan
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

A empresa de energia e infraestrutura Cosan reportou lucro líquido de R$ 620,2 milhões no quarto trimestre, queda de 21,8% na comparação anual, enquanto a geração de caixa medida pelo Ebitda ajustado somou R$ 1,9 bilhões, alta de 38,6%, de acordo com comunicado divulgado na noite de quinta-feira (11).

No ano, a companhia teve lucro líquido de R$ 851,9 milhões, recuo de 65%, em um ano desafiador marcado pela pandemia.

"Mas deixar de correr atrás nunca foi uma opção, e, graças à excelência dos nossos times, 2020 foi também um ano de realizações incríveis", disse o presidente da empresa, Luis Henrique Guimarães.

 

A Cosan notou que último trimestre de 2020 confirmou a continuidade da recuperação da atividade econômica, refletida no aumento sequencial da demanda por combustíveis no Brasil e na Argentina. Além disso, a empresa também registrou uma disparada nos negócios de açúcar.

A operação brasileira de distribuição de combustíveis atingiu Ebitda ajustado de R$ 619 milhões no quarto trimestre, 4% superior ao trimestre anterior, alavancado pela expansão nas vendas, com destaque para o ciclo Otto (+18%).

Na comparação com o quarto trimestre de 2019, contudo, o volume total vendido caiu 4,8%, para 6,8 bilhões de litros.

No ano de 2020, o volume de vendas ficou 10% abaixo ao ano anterior, para 24,5 bilhões de litros, "prejudicado principalmente pela queda de 58% no segmento de aviação e de 12% em gasolina equivalente".

"Já o diesel demonstrou resiliência e expandiu 1% frente a 2019, em função da maior demanda por clientes agrícolas, visto as fortes safras para diversas culturas no ano, e manutenção da demanda por transportes", completou a Cosan.

Cana

Já o processamento de cana da Raízen (joint venture da Cosan com a Shell) no trimestre totalizou 12 milhões de toneladas, queda de 2%, com a moagem em nove meses da safra 2020/21 atingindo 61,4 milhões de toneladas, alta de 3%. O mix de produção seguiu voltado para o açúcar, batendo 53%.

"A maior moagem se deu em função do aumento de produtividade agrícola, resultado dos investimentos que vem sendo realizados no canavial", completou.

A produção de açúcar equivalente atingiu 1,7 milhão de toneladas, contribuindo para um aumento de cerca de 6,5% no acumulado de nove meses, para 8,29 milhões de toneladas.

A maior disponibilidade de produto, somada aos ganhos de eficiência capturados em razão do plano de melhorias operacionais, contribuíram para redução do custo caixa unitário, destacou.

O Ebitda ajustado da unidade de açúcar foi de R$ 806 milhões no quarto trimestre, impulsionado pela expansão nas vendas de produtos próprios em linha com a maior produção, e de terceiros, enquanto o "maior volume é explicado pela estratégia comercial da Raízen, realizando preços 34% superiores ao mesmo período de 2019.

As vendas de açúcar da Raízen mais que triplicaram de volume no quarto trimestre, para 2,8 milhões de toneladas.

Já o segmento de renováveis teve Ebitda ajustado de R$ 751 milhões, alta de 67% no trimestre, beneficiado pelo aumento de 12% nas vendas de etanol próprio com preços médios superiores.

"Estes efeitos foram parcialmente compensados pela menor contribuição de energia elétrica, explicada pela redução no volume dado os preços spot menos atrativos do período", disse.

2021/22

Para a próxima safra de cana, a Cosan projeta moagem de 60 milhões a 64 milhões de toneladas, podendo superar o total registrado na temporada anterior, com investimentos na unidade agroindustrial de até R$ 3,3 bilhões.

O Ebitda da unidade de açúcar foi estimado em até R$ 2,25 bilhões, e o de renováveis em até R$ 2,35 bilhões em 2021/22, disse a Cosan, ressaltando que as projeções para o setor de cana não incluem as expectativas de resultados para a Biosev, uma vez que a transação anunciada nesta semana ainda não foi concluída.

A Cosan frisou ainda que os resultados da Raízen Energia passaram a ser apresentados em dois segmentos distintos: Açúcar e Renováveis.

Já o guidance do Ebitda da unidade de distribuição de combustíveis em 2021 foi estimado em até R$ 2,8 bilhões, o que seria um salto ante os R$ 1,87 bilhão de 2020.

O Ebitda da Compass Gás e Energia para 2021 deverá crescer para um intervalo entre R$ 2,5 bilhões e R$ 2,8 bilhões, ante R$ 2,3 bilhões em 2020.