Cervejeiros alemães são forçados a descartar bebida e pedem auxílio do governo

Os pubs, hotéis e restaurantes da Alemanha estão fechados desde novembro por causa do segundo lockdown do país; o primeiro foi adotado no ano passado

Michael Hogan, da Reuters
22 de fevereiro de 2021 às 12:22
Cerveja
Mulheres seguram copo de cerveja
Foto: Unsplash/Paloma A.

Cervejeiros alemães que têm sido forçados a jogar fora a cerveja que não venderam pediram ajuda financeira do governo, uma vez que o lockdown do coronavírus diminui a procura pela bebida.

Os pubs, hotéis e restaurantes da Alemanha estão fechados desde novembro por causa do segundo lockdown do país -- o primeiro foi adotado no ano passado.

Os cervejeiros pediram ao governo alemão que preste ajuda às suas empresas, como parte dos programas em vigor no país para ajudar a indústria a se recuperar do impacto da crise do coronavírus. O governo alemão oferece auxílio financeiro a pubs e bares, mas não a cervejarias.

"De semana a semana, cada vez mais cervejarias, pubs de propriedade de cervejarias e atacadistas estão enfrentando uma ameaça à sua existência, mesmo sem ter culpa, e correm risco de insolvência", disse uma carta aberta de cerca de 300 cervejarias divulgada pelas associações DBB e VPBD, nesta segunda-feira.

"Por causa do lockdown e do colapso do mercado de cerveja que isto criou, as cervejarias perderam grande parte de seus fundamentos econômicos da noite para o dia", disse a carta.

"Estoques no valor de muitos milhões de euros que passaram do prazo de validade tiveram que ser jogados fora".

A venda de cerveja engarrafada em lojas "nem chega perto" de compensar as vendas perdidas no setor de hospitalidade e as exportações fracas, disseram as cervejarias.