Governo quer liberar R$ 30 bi para pagar auxílio a 44 milhões de brasileiros

Em março, o governo deve liberar recursos do novo auxílio emergencial que deve ser renovado após aprovação da PEC Emergencial

Anna Russi e Renata Agostini, da CNN, em Brasília
22 de fevereiro de 2021 às 14:14 | Atualizado 22 de fevereiro de 2021 às 19:30

Em meio às negociações para a renovação do auxílio emergencial, o governo federal estuda liberar R$ 30 bilhões extras para programas sociais. Conforme apurado pela CNN, a ideia é que o valor seja suficiente para beneficiar 44 milhões de brasileiros, já inclusos aqueles que participam do Bolsa Família. 

Em março, o governo deve liberar recursos do novo auxílio emergencial, que deve ser renovado após aprovação da PEC Emergencial, com votação marcada para esta quinta-feira (25). Ainda sem valor definido o custo do benefício não deve entrar na regra do Teto de Gastos, de acordo com o parecer da PEC. 

Auxílio emergencial
Auxílio emergencial
Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

Em 2020, o valor do auxílio começou em R$ 600, no entanto, ao final do programa as parcelas eram de R$ 300. Para este ano, as negociações variam entre R$ 200 e R$ 300 mensais, mas a definição dependerá de por quanto tempo o benefícios será concedido e para quantas pessoas. 

A estratégia este ano é a mesma usada no ano passado: no caso de o valor do auxílio ser superior ao repasse do Bolsa Família, o governo utilizará parte dos R$ 30 bilhões para complementar o benefício. De acordo com a Proposta de Lei Orçamentária encaminhada ao Congresso Nacional em outubro do ano passado, os recursos do Bolsa Família este ano custarão R$ 34,8 bilhões aos cofres públicos.