Líder da Rede: Votação da PEC com fim do piso para saúde e educação será adiada

A votação estava prevista para começar nesta quinta (25), mas deve ficar para a próxima semana

Fernando Molica, do CNN Brasil Business, no Rio de Janeiro
23 de fevereiro de 2021 às 20:54 | Atualizado 23 de fevereiro de 2021 às 21:22
Randolfe Rodrigues
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP),
Foto: CNN (19.ago.2020)

 

Líder da Rede Sustentabilidade, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse à CNN que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), vai adiar para a próxima terça-feira o início da votação do relatório da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) Emergencial. A votação estava prevista para começar nesta quinta (25).

 

Segundo ele, Pacheco vai deferir o pedido dos partidos de oposição e do MDB, que solicitaram mais tempo para discutir a proposta de desvinculação de verbas para saúde e educação. O texto do relator, Márcio Bittar (MDB-AC) prevê o fim da obrigatoriedade de aplicação de gastos mínimos nessas duas áreas. 

Os senadores Álvaro Dias (Podemos-PR) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE) confirmaram que o adiamento foi feito ao presidente do Senado. A PEC Emergencial também prevê a retomada do auxílio emergencial.