Bolsonaro diz que novo auxílio emergencial deve ter quatro parcelas de R$ 250

Volta do benefício está em discussão no Congresso Nacional, dentro da proposta conhecida como PEC Emergencial

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
25 de fevereiro de 2021 às 19:52 | Atualizado 25 de fevereiro de 2021 às 21:30

 O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta quinta-feira (25) que a negociação pela retorna do auxílio emergencial prevê o pagamento de mais quatro parcelas, agora em R$ 250 cada uma, a partir do mês de março.

"Estive hoje com o Paulo Guedes, a princípio o que deve ser feito é, a partir de março, por quatro meses, R$ 250 de auxílio emergencial. É o que está sendo disponibilizado", afirmou o presidente, durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

Bolsonaro afirmou que a capacidade de endividamento está "no limite" e que, ao final dos quatro meses, o governo deve ter uma nova proposta para o Bolsa Família.

A permissão orçamentária para o pagamento do benefício está sendo discutida no Congresso Nacional, como parte da proposta conhecida como PEC Emergencial. Segundo o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), a proposta será votada na próxima quarta-feira (3).

Bolsonaro falou sobre a volta do auxílio em transmissão ao vivo nas redes sociais, ao lado do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. De acordo com o executivo, o banco pode retomar quase que imediatamente os pagamentos caso autorizada pelo governo.

"A Caixa está preparada [para pagar] de um dia para o outro. Pelos nove meses que pagamos no ano passado, nós temos preparação e será ainda mais rápido", disse o presidente do banco.