Yellen defende nova alocação de moeda do FMI para ajudar países pobres

A medida é para ajudar os países em seus esforços sanitários e de recuperação econômica, revertendo a oposição do governo anterior dos Estados Unidos

da Reuters
25 de fevereiro de 2021 às 12:01
Janet Yellen
Janet Yellen, ex-presidente do Federal Reserve e nova secretária do Tesouro
Foto: Christopher Aluka Berry/REUTERS

 A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, defendeu nesta quinta-feira (24), uma nova alocação da moeda própria do Fundo Monetário Internacional (FMI), os chamados Direitos Especiais de Saque (SDRs, na sigla em inglês), mas afirmou que parâmetros amplos são necessários para aumentar a transparência sobre como as reservas são usadas.

Em carta a autoridades financeiras do G20, Yellen disse que uma nova alocação de SDRs pode aumentar a liquidez para países pobres e ajudar em seus esforços sanitários e de recuperação econômica, revertendo a oposição do governo anterior dos Estados Unidos.

Yellen também as encorajou firmemente a usar o excedente de SDRs para sustentar esforços de recuperação em países pobres, junto com financiamento bilateral contínuo.