'É utopia imaginar o auxílio emergencial como poupança', diz Gustavo Cerbasi

O especialista em inteligência financeira afirmou que o possível retorno do auxílio emergencial não possui efeito de longo prazo na economia

Produzido por Juliana Alves, da CNN, em São Paulo
27 de fevereiro de 2021 às 16:59 | Atualizado 28 de fevereiro de 2021 às 09:32

 

Em entrevista à CNN, o especialista em inteligência financeira Gustavo Cerbasi afirmou que o possível retorno do auxílio emergencial em quatro parcelas de R$ 250 terá uma consequência imediata para o orçamento das famílias, mas está longe de se tornar uma reserva financeira ou uma poupança. 

"É utopia imaginar que nós teremos um efeito significativo de poupança. O brasileiro está preocupado em poupar, mas com o desemprego não consegue transformar esse esforço em realidade diante do pequeno valor do auxílio", disse Cerbasi.

Segundo o especialista, boa parte do dinheiro será usado para cobrir deficiências do planejamento financeiro ou para comprar algum alimento, abastecer o carro ou pagar contas.

"Nós não estamos criando nenhum efeito de longo prazo, como seria se esse auxílio fosse condicionado a algum tipo de treinamento e qualificação profissional que proporcionaria a essas famílias renda nos próximos anos." 

O especialista em Inteligência Financeira Gustavo Cerbasi falou sobre o efeito do auxílio emergencial (27.fev.2021)
Foto: Reprodução / CNN

(Texto publicado por Natália Flach)