Pix: limite de pagamentos sobe nesta 2ª para 100% do valor disponível na TED

Quando a pessoa paga no mobile baking usando QR Code (dinâmico ou estático), o limite é o mesmo que o disponibilizado para o cartão de débito

Natália Flach, do CNN Brasil Business, em São Paulo
01 de março de 2021 às 11:28 | Atualizado 01 de março de 2021 às 11:49
Pix
PIX
Foto: Estadão Conteúdo

 

O limite de pagamentos do Pix, sistema criado pelo Banco Central, vai aumentar a partir desta segunda-feira (1). Até então, o valor máximo era de 50% do limite disponibilizado pelos bancos e fintechs para a TED. Agora, passa a ser de 100% do valor disponibilizado para a TED.

A mudança já estava prevista no cronograma de lançamentos do sistema e ela abrange pagamentos feitos com a mesma titularidade (ou seja, quando uma pessoa transfere um dinheiro de uma conta para a outra) e de diferentes titularidades. 

O novo limite da TED passa a valer para quem usa internet banking (banco no site). No caso do mobile banking (no celular), a nova regra é válida desde que a chave Pix seja de uma conta cadastrada previamente ou seja de um recebedor usual — alguém que vende algo, por exemplo. Também funciona quando a pessoa insere os dados manualmente e a conta transacional seja de um recebedor usual ou esteja cadastrada previamente.

Outros limites

Quando a pessoa paga no mobile baking usando QR Code (dinâmico ou estático), o limite é o mesmo que o disponibilizado para o cartão de débito. Também vale no caso de um pagamento com chave Pix ou com dados inseridos manualmente de um recebedor não usual ou de uma conta transacional não cadastrada previamente.