Via Varejo volta ao lucro no 4º trimestre com impulso do comércio eletrônico

A receita líquida cresceu 24,4% ano a ano, para R$ 9,47 bilhões, com a fatia das vendas digitais subindo de 24% para 38%

Aluisio Alves, da Reuters
03 de março de 2021 às 12:25
Centro de distribuição das Casas Bahia, da Via Varejo, em Jundiaí (SP)
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

 

A Via Varejo passou de prejuízo para lucro no quarto trimestre, uma vez que o salto do comércio eletrônico e a reabertura de lojas físicas aceleraram ganhos de produtividade da dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio.

A empresa anunciou na terça-feira (2) que teve lucro líquido de R$ 336 milhões de outubro a dezembro, ante prejuízo de R$ 875 milhões um ano antes.

A receita líquida cresceu 24,4% ano a ano, para R$ 9,47 bilhões, com a fatia das vendas digitais subindo de 24% para 38%, além do crescimento nas vendas mesmas lojas de 6,1%, com aumento total de vendas de 5,6%.

Assim, o resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado passou de um resultado negativo de 35 milhões de reais para um positivo de R$ 545 milhões, com a margem ajustada evoluindo de -0,5% para 5,8%.

O grupo fechou 2020 com uma rede de 1.052 lojas, 19 a menos do que um ano antes.

Para este ano, o plano da Via Varejo, que vem fazendo a integração das estruturas física e virtual para permitir por exemplo que clientes retirem nas lojas produtos comprados pela internet, é abrir pelo menos 120 lojas físicas, com ênfase em cidades do Norte e Nordeste do país.