Startup QuintoAndar compra a Casa Mineira, uma imobiliária das antigas

A Casa Mineira já era uma parceira do QuintoAndar há dois anos. Agora, será gerida pela companhia

André Jankavski, do CNN Brasil Business, em São Paulo
17 de março de 2021 às 05:00
QuintoAndar
O aplicativo do Quinto Andar: empresa acelera segmento de venda de imóveis
Foto: Reprodução/Facebook

A plataforma de imóveis QuintoAndar deu um passo para se tornar um pouco mais offline. A empresa anunciou a compra da tradicional imobiliária Casa Mineira, que atua em Belo Horizonte (MG) e possui mais de R$ 2,5 bilhões em ativos. Além dos 17 mil imóveis que a Casa Mineira administra, o Quinto Andar também deve incorporar mais de 250 funcionários e 450 corretores parceiros.

“O nosso modelo sempre teve um pouco de offline com o online e vemos uma grande sinergia com a Casa Mineira”, diz Gabriel Braga, que é CEO do QuintoAndar. Os valores do negócio não foram divulgados. 

Com a aquisição – que foi divulgada ao mercado como uma junção de negócios –, o QuintoAndar pretende até quadruplicar as suas vendas de imóveis neste ano. Desde a estreia no segmento em 2020, a empresa fez, em média, 10 vendas por dia. 

Além disso, a entrada em Belo Horizonte também significa uma estreia em um novo mercado – antes da capital mineira, somente São Paulo e Rio de Janeiro possuíam imóveis à venda pela plataforma. Na área de alugueis, já são mais de 12 municípios que o QuintoAndar presta serviços.

A Casa Mineira já era uma parceira do QuintoAndar há dois anos. Agora, será gerida pela startup. Braga afirma que as duas marcas serão mantidas. 

Questionado se essas aquisições de imobiliárias virarão rotina no QuintoAndar, Braga despistou. Segundo ele, há uma vontade de se aproximar de outras empresas como a Casa Mineira. 

“Mas não necessariamente vai ser no mesmo formato e estamos aberto a qualquer possibilidade”, diz.

Futuro

Algo que pode frear um pouco esse ímpeto do QuintoAndar é a volta da alta das taxas de juros no Brasil. O Comitê de Política Monetária (Copom) deve se reunir hoje e aumentar em, pelo menos, 0,25 pontos percentuais a taxa Selic, que está na mínima histórica.

“Os juros no Brasil têm altos e baixos, mas do lado do comportamento das pessoas ainda há muito o que ser explorado. O brasileiro ainda muda pouco de casa em comparação a outros países”, diz Braga. E essa mudança comportamento deve ser acelerada com a inovação.”

Os atuais controladores da Casa Mineira se tornarão conselheiros do QuintoAndar. 

Sobre expansão, Braga afirma que a empresa está bem capitalizada e com as contas em dia, mesmo com a pandemia. O último aporte recebido pelo QuintoAndar foi de US$ 250 milhões, em setembro de 2019. Foi nessa época que a empresa se tornou um “unicórnio brasileiro”, ou seja, com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão. 

O executivo afirma que, pelo menos por enquanto, novos aportes não são necessários. Além disso, segundo ele, uma eventual abertura de capital também está mais distante. Porém, é sempre bom lembrar que o mercado está a procura de boas oportunidades para investir.