Banco Original contará com carteiras digitais Google Pay e Apple Pay

Entre janeiro de 2020 e janeiro deste ano, o número de clientes do Original que passaram a fazer transações com cartões sem contato disparou 182%

Natália Flach, do CNN Brasil Business, em São Paulo
18 de março de 2021 às 09:22 | Atualizado 18 de março de 2021 às 09:24
Cartões do Banco Original
Foto: Divulgação / Banco Original

 

Os clientes do Banco Original vão poder contar com as carteiras digitais Google Pay e Apple Pay nas próximas semanas e assim fazer pagamentos por aproximação usando o seu smartphone. A informação de que os sistemas estão em fase de testes foi apurada pelo CNN Brasil Business. O banco, que já oferece as carteiras Samsung Pay e PicPay, preferiu não comentar.

Será mais um avanço da instituição no mundo digital que rapidamente está ganhando novos adeptos. Entre janeiro de 2020 e janeiro deste ano, o número de clientes do Original que passaram a fazer transações com cartões sem contato (também chamadas de contactless, em inglês) disparou 182%. Com isso, o volume de operações dessa natureza deu um salto de 317% no mesmo período. 

No Brasil, os pagamentos por aproximação movimentaram R$ 41 bilhões no ano passado, um aumento de 469,6%, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Esse avanço se deu principalmente pelo uso de cartão de débito, que respondeu por quase metade do volume transacionado no país em 2020.

O Original tem atualmente com 4,2 milhões de clientes e já emitiu 1,1 milhões de cartões com a tecnologia NFC (que possibilita o pagamento por aproximação) para a sua base de correntistas. Já para a fintech PicPay, da qual o banco é um dos controladores, a emissão chegou a 4 milhões de plásticos — sendo que 75% desse total aconteceu somente em 2021. É que, às vésperas de se tornar uma empresa de capital aberto, o PicPay está lançando mão de um marketing superagressivo.

"O Banco Original foi o primeiro a entregar soluções digitais. Não entramos no negócio para ser mais um. A gente entrega produtos com a qualidade que os clientes querem", afirma Simão Kovalski, responsável pela área de meios de pagamentos no Original. "São produtos que custam mais para o banco, mas que, no fim, entregam mais valor para o cliente."

No mundo

O pagamento realizado por carteiras digitais ultrapassou o uso do dinheiro pela primeira vez na história — mesmo levando em conta somente as lojas físicas, de acordo com um levantamento realizado pela empresa de tecnologia FIS. No ano passado, as carteiras digitais e os pagamentos por celular responderam por 44,5% das transações na internet e por 25,7% nas lojas físicas no mundo.

Liderado pela Ásia, o movimento tende a se intensificar em 2021. A expectativa é que as operações com carteiras digitais na internet saltem para 51,7%. Já nas lojas físicas a previsão é esses meios sejam responsáveis por 33,4% de todas as transações. Em contrapartida, o pagamento em dinheiro deve cair dos atuais 20,5% para 12,7%.

Na América Latina, no entanto, o cenário ainda pende para os meios de pagamento mais tradicionais. Na internet, por exemplo, os cartões de crédito aparecem na liderança (com 36,5%), seguidos pelas carteiras digitais, com 19,8% da participação. Já nas lojas físicas, o dinheiro ainda domina e as carteiras digitais estão, somente, na quarta posição (6,4%), atrás dos cartões de crédito (26,1%) e de débito (12,4%).

Mas a expectativa é que as carteiras digitais passem a responder por 31,2% das compras online e por 12,4% do varejo físico até 2024. Não são números tão altos quanto no restante do mundo, mas revelam que há um potencial gigantesco nessa área.