BCE fará sua parte para manter custo de empréstimo baixo, diz economista-chefe

Banco se comprometeu neste mês a aumentar as compras de títulos para manter os rendimentos baixos

Balazs Koranyi, da Reuters
23 de março de 2021 às 11:56
Economista-chefe do BCE, Philip Lane
Economista-chefe do BCE, Philip Lane
Foto: REUTERS/Gary He

A Europa enfrenta um segundo trimestre difícil com o aumento das infecções por coronavírus e os governos readotando medidas de lockdown, mas o Banco Central Europeu fará sua parte para manter os custos dos empréstimos extremamente baixos, disse o economista-chefe do BCE, Philip Lane, nesta terça-feira (23).

Temendo que o aumento nos custos dos empréstimos prejudique a recuperação, o BCE se comprometeu neste mês a aumentar as compras de títulos para manter os rendimentos baixos. De acordo com números publicados na segunda-feira (22), as compras na semana, principalmente de títulos do governo, já subiram pela metade desde a decisão.

"Vai ser um longo trimestre", disse Lane à CNBC em uma entrevista, apontando para os números altos e crescentes de infecções por Covid-19. "É uma competição entre o progresso, a vacinação e outros avanços médicos contra o desafio de curto prazo de tentar manter o vírus sob controle."

As campanhas de vacinação têm sido dolorosamente lentas em todos os 19 países da zona do euro e os governos agora estão prorrogando, e em alguns casos apertando, as medidas de lockdown até abril, apontando para um novo atraso na recuperação econômica.