Mundo foi "reprovado" na prontidão para a Covid-19, diz OCDE

Os países fizeram muito pouco para que as cadeias de suprimentos continuassem robustas em uma crise, diz OCDE

Por David Milliken, da Reuters
23 de março de 2021 às 16:59
Covid-19: Ilustração novo coronavírus mostra formato de partículas
Covid-19: Ilustração novo coronavírus mostra formato de partículas
Foto: BlenderTime/Pixabay

Tensões entre o Reino Unido e a União Europeia sobre o suprimento de vacinas contra Covid-19 mostram que o mundo merece ser "reprovado" por seus esforços passados para se preparar para choques inesperados, disse o chefe da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), Ángel Gurria, nesta terça-feira (23).

Gurria, ex-ministro das Finanças mexicano que lidera a entidade sediada em Paris há 15 anos, disse que os países fizeram muito pouco para que as cadeias de suprimentos continuassem robustas em uma crise.

"Não recebemos uma nota muito alta. Basicamente, recebemos uma nota de reprovação", disse.

A UE ameaça restringir as exportações de vacinas desde que fabricantes do bloco priorizaram encomendas feitas pelo Reino Unido, que aprovou vacinas mais rápido e as está distribuindo mais eficientemente até agora.

"É um exemplo muito dramático do quão despreparados estamos", disse Gurria, acrescentando que espera que o programa de vacinação da UE alcance o britânico nas próximas semanas e que a tensão com o antigo membro diminua.

"É preciso debater as coisas muito melhor desde o início, ao invés de ficar no final da fila com o cheque", disse.

Gurria falava no lançamento de um relatório da OCDE solicitado pelo Reino Unido para incentivar países a fortalecer sua resistência econômica em uma gama variada de áreas.