Brasileiros despencam em lista de bilionários da Forbes em ano de pandemia

O posto de brasileiro mais rico segue sendo de Lemann, que caiu 11 posições

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
06 de abril de 2021 às 14:45 | Atualizado 06 de abril de 2021 às 17:40
O empresário Jorge Paulo Lemann, homem mais rico do Brasil
Jorge Paulo Lemann
Foto: Divulgação

 

A lista de bilionários da Forbes de 2021 trouxe surpresas em relação a fortuna dos empresários brasileiros. 

Jorge Paulo Lemann, acionista da cervejaria AB InBev, que até o ano passado ocupava o 103ª posto geral no ranking, caiu 11 posições em um ano marcado pela pandemia do novo coronavírus.

O empresário perdeu cerca de R$ 42 bilhões no ano passado (o equivalente a 7 bi de francos suíços), segundo registro feito em novembro pela revista Bilan, da Suíça, de onde ele também tem nacionalidade e fica entre os mais ricos. Apesar da queda, Lemann continua tendo a maior fortuna no Brasil, estimada de US$ 16,9 bilhões (cerca de R$ 95 bi). 

Outro brasileiro que caiu na lista de bilionários da publicação americana foi Eduardo Saverin, cofundador do Facebook e investidor-anjo. Em 2020, Saverin estava a oito posições abaixo de Lemann, com uma fortuna estimada de US$ 17 bilhões. Neste ano, no entanto, o bilionário foi para a 140ª posição, com US$ 14,6 bilhões. 

Apesar de serem brasileiros, tanto Saverin quanto Lemann não moram mais no Brasil e, por isso, não estão sob a categoria "Brasil" na lista da Forbes, que considerou o país onde os bilionários residiam no momento de fazer o ranking. É por isso que o colombiano David Vélez, CEO e cofundador do Nubank, aparece no filtro de brasileiros. 

Marcel Herrmann Telles, também acionista da AB InBev, aparece em 191º lugar com uma fortuna estimada de US$ 11,5 bilhões. Depois de Hermann quem aparece na lista é o fundador da Rede D'Or, Jorge Moll Filho, com US$ 11,3 bilhões, em 194º lugar. 

Os próximos brasileiros a figurarem a lista dos mais ricos da Forbes só aparecem novamente depois da casa dos 300, com os irmãos Safra na 358ª posição e uma fortuna estimada de US$ 7,1 bilhões.

A primeira mulher brasileira na lista, Dulce Pugliese de Godoy Bueno, tem US$ 6 bilhões e ocupa a 451ª posição. Já Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza, tem uma fortuna estimada de US$ 5,3 bilhões e está no 529º lugar no ranking. 

Apesar disso, um relatório do banco suíço UBS e da PwC publicado em outubro do ano passado apontou que a fortuna dos bilionários brasileiros aumentou 99% de 2009 a 2020, indo de US$ 88,6 bilhões a US$ 176,1 bilhões em 11 anos. O avanço é pequeno quando comparado com o verificado na China, onde os bilionários aumentaram suas fortunas em 1.146%.