Governo negocia aumentar lista de beneficiários do auxílio, diz Guimarães

"Há conversa com governo e congresso possibilitando revisão desses pontos para incluir mais gente", disse à CNN o presidente da Caixa nesta terça-feira

Anna Russi, do CNN Brasil Business, em Brasília
06 de abril de 2021 às 14:02 | Atualizado 06 de abril de 2021 às 14:08

 

 

Pressionado pelo Congresso, o governo federal já negocia a revisão de exigências para inclusão de beneficiários do auxílio emergencial. A informação é do presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Pedro Guimarães. 

"Há conversa com governo e congresso possibilitando revisão desses pontos para incluir mais gente", afirmou nesta terça-feira (6). 

 

Como exemplo do que mudou nas regras para receber o benefício entre o ano passado e este ano, Guimarães citou a possibilidade de dois membros da mesma família receberem o auxílio, vetada neste ano. Além dessa, citou o limite de 3 salários mínimos como renda familiar e o máximo de meio salário mínimo por membro da família. 

Aumento de 103% no crédito imobiliário

Guimarães também informou que a Caixa aumentou em 103% o financiamento de imóveis com recursos da caderneta de poupança no primeiro trimestre deste ano, ante o mesmo período de 2020. 

"Nossa inadimplência está no mínimo histórico. Vale lembrar que este tipo de crédito tem uma garantia real. Ou seja, a Caixa tem mais de 91% da sua carteira de crédito com garantia real", acrescentou.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômico Federal, em entrevista à CNN (06.
Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômico Federal, em entrevista à CNN (06.abr.2021)
Foto: CNN Brasil