Spotify prevê trimestre fraco, com diminuição do crescimento de assinantes

A Apple também lançou uma plataforma de assinatura paga, apresentando dura concorrência para as ambições do Spotify com podcasts

Supantha Mukherjee, da Reuters
28 de abril de 2021 às 12:02
Logo do Spotify
Logo do Spotify em Nova York
Foto: Lucas Jackson/Reuters

O Spotify previu nesta quarta-feira (28) que o trimestre atual tenha assinantes abaixo das estimativas de Wall Street, após resultados do primeiro trimestre superarem as expectativas - impulsionados pelo crescimento no Estados Unidos e na Índia.

Embora o Spotify tenha tido aumento considerável no número de assinantes durante a pandemia, já que as pessoas ficaram em casa devido aos lockdowns, ele enfrenta a concorrência crescente da Apple Music, Amazon Music e vários outros rivais menores.

A Apple também lançou uma plataforma de assinatura paga, apresentando dura concorrência para as ambições do Spotify com podcasts, área em que o streaming tem investido bastante. 

A gama de podcast do Spotify agora tem milhões de títulos, incluindo "Renegades: Born in the USA", apresentado pelo ex-presidente dos EUA Barack Obama e pelo cantor Bruce Springsteen.

A empresa espera um total de assinantes premium na faixa de 162 milhões a 166 milhões neste segundo trimestre. A previsão dos analistas é de 166,1 milhões, segundo o IBES da Refinitiv.

A previsão do Spotify é de receita total entre 2,16 e 2,36 bilhões de euros de abril a junho. Os analistas esperavam receita de 2,27 bilhões de euros.

O Spotify, que tinha serviços em 86 novos países no primeiro trimestre, disse que o crescimento nos Estados Unidos, México, Rússia e Índia compensou o crescimento abaixo do esperado na América Latina e Europa.

Os assinantes premium, que correspondem à maior parte da receita da empresa, subiram 21% em 12 meses, para 158 milhões. Os analistas esperavam, em média, que a empresa tivesse 157,5 milhões de assinantes pagos, segundo dados IBES da Refinitiv.

A receita subiu para 2,15 bilhões de euros no trimestre, ante 1,85 bilhão de euros um ano antes, superando a previsão de consenso de 2,14 bilhões de euros. O total de usuários ativos mensais aumentou 24%, para 356 milhões.