Ericsson e Samsung chegam a acordo em disputa sobre patente

A atual disputa começou em dezembro, enquanto a última briga entre às duas empresas foi em 2012 e demorou dois anos para ser concluída

Por Supantha Mukherjee, da Reuters
07 de maio de 2021 às 18:30
Samsung
Logomarca na fachada de uma fábrica da Samsung no México (01.jun.2019)
Foto: Jorge Duenes/Reuters

 A Ericsson chegou a um acordo "plurianual" sobre licenças globais de patentes com a Samsung, disse a fabricante sueca de equipamentos de telecomunicações nesta sexta-feira (7) encerrando uma disputa que atingiu sua receita do primeiro trimestre.

A Ericsson afirmou não ter divulgado quantos anos duraria o acordo, que inclui patentes para todas as tecnologias de celular. Ela disse que espera agora que a receita de licenciamento de patentes do segundo trimestre seja de 2 bilhões de coroas suecas (US$ 237 milhões) a 2,5 bilhões de coroas suecas.

O acordo, que encerra processos judiciais em andamento em vários países, foi feito em tempo recorde, já que as disputas de patentes entre empresas de tecnologia podem levar anos para serem resolvidas.

A atual disputa começou em dezembro, enquanto a última briga entre às duas empresas foi em 2012 e demorou dois anos para ser concluída.

O acordo de licença cruzada cobre as vendas de infraestrutura de rede e aparelhos a partir de 1º de janeiro de 2021, informou em comunicado. As empresas se recusaram a divulgar os termos afirmando serem confidenciais.

A Ericsson investe cerca de 40 bilhões de coroas suecas todos os anos em pesquisa e tem um portfólio de mais de 57.000 patentes.

No primeiro trimestre, a receita de licenciamento de patentes da Ericsson caiu para 800 milhões de coroas suecas, de 2,5 bilhões um ano antes. Os royalties de seu portfólio de patentes representam cerca de um terço do lucro operacional da Ericsson.

A Ericsson disse que sua receita de patentes continua a ser afetada por fatores como contratos de licença expirados com renovação pendente, impactos geopolíticos no mercado de celulares, uma mudança de tecnologia de 4G para 5G e possíveis efeitos cambiais daqui para frente.