Não podemos ser tão dependentes das chuvas, diz especialista sobre crise hídrica

O professor da USP Pedro Cortês disse que a geração de energia elétrica deve ser colocada em uma perspectiva de não precisar negociar com o clima

Produzido por Layane Serrano, da CNN, em São Paulo
28 de maio de 2021 às 17:31 | Atualizado 28 de maio de 2021 às 18:16

 

Em entrevista à CNN, o professor do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (USP) Pedro Cortês afirmou que o Brasil precisa buscar soluções para não depender tanto dos períodos de chuvas. O Sistema Nacional de Meteorologia (SNM) já emitiu o primeiro Alerta de Emergência Hídrica para o período de junho a setembro, na região da Bacia do Paraná, que abrange cinco estados: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná.

"O que o governo deveria ter feito, não só a gestão Bolsonaro mas também a de Temer, era colocar a geração de energia elétrica dentro de uma perspectiva em que não podemos negociar com o clima", explicou Cortês.

"Temos que nos adaptar às condições climáticas e buscar alternativas para que não sejamos tão dependentes das chuvas."

Segundo o professor, os períodos de chuvas concentradas podem ser seguidos de estiagens intensas, o que não é o suficiente na recarga dos mananciais. 

"Quando as hidrelétricas não conseguem realizar esse atendimento, força o uso das termoelétricas e o custo operacional é muito alto, o que acaba impactando na tarifa e pesando no bolso do consumidor."

O professor da USP Pedro Cortês conversou com a CNN sobre a crise hídrica (28.mai.2021)
Foto: Reprodução / CNN